RS AINDA SEM DEFINIÇÃO PARA VACINAR CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS

Depois do Rio de Janeiro (RJ), algumas capitais do Brasil começam, a partir desta segunda-feira, a vacinar crianças de 3 a 5 anos contra a Covid-19 com a Coronavac. Entre elas estão: São Luís (MA), Fortaleza (CE), Boa Vista (RR), Manaus (AM), Belém (PA) e Salvador (BA). Apesar da liberação do uso do imunizante para a faixa etária ter ocorrido na semana passada, no Rio Grande do Sul a situação ainda é indefinida e não há prazo para o começo das aplicações.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da Capital, a cidade está sem doses de Coronavac para as crianças de 3 a 5 anos. Contatada pela reportagem, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) afirmou que a imunização para a faixa etária está em avaliação. No final de semana, a pasta também havia afirmado que estava sem as doses necessárias para a imunização do público.

A liberação da Coronovac para crianças de 3 a 5 anos pela Anvisa foi baseada em informações do Instituto Butantan, com dados de pesquisas feitas no Chile, onde a vacina já é utilizada nesta faixa etária, resultados de pesquisas sobre a vacinação contra a Covid-19 no Brasil, pareceres das sociedades médicas e literatura científica.

O esquema vacinal será de duas doses, com intervalo de 28 dias. A vacina não é recomendada a crianças com deficiência no sistema imune. O fármaco é o mesmo usado em adultos e os frascos continuam iguais. Os pequenos de 5 anos já vinham sendo vacinados com a Pfizer pediátrica e os que têm 6 anos ou mais, tanto com a Pfizer quanto com a CoronaVac.

Para receber a vacina, a criança deve estar saudável e, no dia em que for imunizada contra a Covid-19, poderá receber outras vacinas do calendário infantil, caso haja pendências. Será necessário apresentar documento oficial de identificação da criança: certidão de nascimento, carteira de identidade ou passaporte, além da carteira de vacinação. Também é preciso apresentar um documento original com foto do responsável no momento da aplicação.

Comentários