PALAVRA EMPENHADA QUEBRADA, LEITE SE COLOCA COMO CANDIDATO AO PIRATINI

Passados 74 dias da renúncia ao cargo de governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite finalmente confirmou qual será seu destino político nas eleições de outubro. Após reunião, no final da manhã desta segunda-feira, com a executiva estadual tucana, lideranças, parlamentares, prefeitos e o atual governador, Ranolfo Vieira Junior, Leite assume a condição de pré-candidato do PSDB ao Piratini. Embora tenha afirmado, desde o pleito passado, que não tentaria nova eleição ao posto que ocupara até dois meses e meio atrás, Leite estará na disputa.

“Comunico aos gaúchos e gaúchos que sou pré-candidato ao governo do Estado. Essa é uma decisão coletiva do partido, mas sobretudo com o governador Ranolfo”, destacou Leite, que afirma estar reconsiderando a possibilidade de estar no pleito ao Piratini desde janeiro. O ex-governador disse que a decisão final se deu após a necessidade de pensar em soluções para o país em meio à polarização. Leite disse que a sua renúncia o deixou mais à vontade para “ser um candidato a governador e não um governador candidato. Mudei de opinião, mas não mudei de princípios. A renúncia me abria todas as possibilidades”.

Eduardo Leite afirma ainda que deve intensificar negociações com siglas, entre elas o PP. O partido já tem um pré-canditato ao governo, senador Luis Carlos Heinze, com quem o tucano disse que pretende conversar. Em 2018, Heinze desistiu da sua candidatura ao governo para apoiar a chapa de Leite. Atualmente, o PP se mantém aliado ao governo, com o deputado Frederico Antunes como líder do governo na Assembleia Legislativa. Ele deixa o cargo nesta terça-feira.

Comentários