IBGE APLICA PROVAS PARA RECENSEADOR

IBGE abre 126 vagas em Toledo para o Censo 2022 | Portal do Município de  Toledo - Paraná

O domingo foi de prova para os candidatos que participaram do processo seletivo temporário do Censo 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).  No Rio Grande do Sul, 20.497 inscrições foram efetivadas, sendo 11.785 inscritos ao cargo de recenseadores para 11.232 vagas previstas e 9.265 inscritos nas funções de  agente censitário supervisor (ACS) e agente censitário municipal (ACM) para ocupar 1.440 vagas oferecidas. As provas foram aplicadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) de manhã para recenseadores e de tarde para ACS e ACM. O concurso ocorreu em todo o Brasil para 621.228  que tiveram  a inscrição confirmada, embora tenha somado mais de 1,1 milhão de inscritos.

No RS, as provas ocorreram nos 497 municípios. Em Porto Alegre, as provas foram aplicadas no Colégio São Judas, no bairro Cristo Redentor, na Faculdade Meridional de Porto Alegre (Imed), no bairro Mont Serrat. As provas começaram a partir das  9h até o meio-dia para recenseador e das 14h30min às 17h30min para  ACS  e ACM. Os alunos tiveram três horas para responder as 60 questões de múltipla escolha com cinco alternativas.

O trabalho do recenseador não requer uma jornada diária fixa. Considerando a recomendação de no mínimo de 25 horas semanais e respeitando os melhores momentos para fazer contato com os domicílios, o profissional pode definir seus horários de trabalho, o que vai refletir na remuneração, que varia conforme o município e horas laboradas. O IBGE disponibiliza uma calculadora para simular os ganhos a partir dos critérios definidos. Por exemplo, se o recenseador  cumprir a meta de 25 horas semanais em Porto Alegre, vai receber em torno de R$ 1425,00 por mês. Agora, se for em Caxias do Sul, na serra, a mesma carga horária vai render cerca de R$ 1491,00 ao mês para o profissional.

Para recenseador, a previsão de duração do contrato é de até três meses, podendo ser prorrogado, conforme inciso II do parágrafo único do art. 4º da Lei nº 8.745/1993, com base nas necessidades de conclusão das atividades do Censo Demográfico 2021 e na disponibilidade de recursos orçamentários.

Já para ACS e ACM, é preciso ter o ensino médio completo. Os salários são de R$ 1700,00 e R$ 2100,00, respectivamente. A previsão de duração do contrato é de até cinco meses, podendo ser prorrogado, conforme inciso II do parágrafo único do art. 4º da Lei nº 8.745/1993, com base nas necessidades de conclusão das atividades do Censo Demográfico 2022 e na disponibilidade de recursos orçamentários.

Prova

Na Imed, por volta das 8h30, muitos candidatos já tinham se dirigido  às salas de aula do bloco A, definidas para a realização do certame. Alguns chegaram mais tarde e não puderam fazer a prova, mas foi por problema de identificação. Isabel Cristina, 56, não pôde fazer a prova para recenseador porque legou o  documento de identidade errado. “Peguei o da minha filha por engano trocado, pegou da filha por engano. Já Gabriel Veiga, 21, estava com a RG vencida.

Na parte da tarde, às 13h já tinha muita gente esperando. A agente administrativo Deise Coutinho  foi tentar uma das vagas para agente censitário. “ Estou estudando para concurso público e quero tentar essa vaga para ter uma experiência”, disse.

A dona de casa e líder comunitária Terezinha Maia revisou os conteúdos. “Estou desempregada desde fevereiro e buscando um novo trabalho”, disse. O resultado final com a lista dos aprovados fica pronta no dia 20 de maio. A partir de 1º de agosto começa o levantamento dos dados para a composição do Censo. Mais   de 213 milhões de habitantes, distribuídos em um  número acima de  70 milhões de domicílios, serão visitados pelos recenseadores nos 5.570 municípios do país.

O Censo 2022 revelará as características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade e autismo. A pesquisa é a principal fonte de referência sobre as condições de vida da população em todos os municípios do país.

Comentários