PRESIDENTE BOLSONARO VISITOU O RIO GRANDE DO SUL

Michelle cola em Bolsonaro durante viagem ao Rio Grande do Sul a seis meses da eleição - Jornal O Globo

Depois de comparecer em Pelotas, onde inaugurou a duplicação do Contorno das BRs 116 e 392, em Pelotas, o presidente Jair Bolsonaro participou da inauguração da unidade de radioterapia da Santa Casa de Caridade de Bagé. Em novo discurso, o chefe de Estado lembrou do pai, que perdeu a batalha para o câncer quando tinha 68 anos.

“O câncer não pode esperar. Esta obra teve a aceitação do governo e agora é uma realidade que nós agradecemos. Salvando vidas aqui em Bagé muito se poupará em deslocamento para outras cidades”, resumiu Bolsonaro.

Bolsonaro ainda fez um comentário sobre as escolas cívico-militares e destacou que Bagé já tem três instituições deste tipo. “O que liberta o povo é o conhecimento e ele vem através de escolas de qualidade como essas”, completou.

Antes da manifestação do presidente, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, comentou alguns dos investimentos do governo na área da saúde. “Nenhum governo investiu mais em oncologia do que o de Jair Bolsonaro. Foram mais de R$ 4,6 bilhões. Somente na área de radioterapia, 56 soluções como esta foram entregues, sendo que 40 delas são da gestão Bolsonaro. O presidente transformou o dinheiro público do imposto em políticas públicas do interesse da sociedade”, salientou.

A obra 

O Hospital do Câncer de Bagé recebeu o investimento de R$ 10 milhões e irá beneficiar mais de 500 mil pessoas. A estrutura, colocada em uma área de 800 m², foi feita para atender 120 pacientes por dia. O centro completa o ciclo de tratamento do câncer na cidade, abrangendo também pacientes de diversas cidades, como Porto Alegre, Santa Maria e Pelotas.

PASSO FUNDO

presidente Jair Bolsonaro finalizou na tarde desta sexta-feira, em Passo Fundo, a sua passagem pelo Rio Grande do Sul. No município gaúcho, ele entregou obras de ampliação do aeroporto Lauro Kurtz, e discursou para apoiadores que marcaram presença no evento. Em sua fala, Bolsonaro enumerou feitos do governo, exaltou a recepção gaúcha e falou questionou as pesquisas de intenção de voto para as eleições de 2022.

“Não tem preço uma recepção calorosa como essa. Um colírio para nossos olhos. As cores verde e amarela em nossa frente. Orgulho de ser político e estar no Executivo Federal. É uma missão de Deus. Entendo dessa maneira”, afirmou. “Quem acredita em pesquisa, acredita em Papai Noel também. Nenhuma pesquisa acertou em 2018. Não vai acertar de novo. Queremos continuar arrumando o país”, acrescentou.

Ao longo de sua manifestação, o chefe do Executivo nacional criticou aqueles que acusam seu governo de corrupção. “Completamos três anos e três meses de governo e ainda não comprovaram corrupção no governo. Continuem buscando”, reiterou. “Um governo que teve o menor orçamento da história, mas que mais obras fez”. Bolsonaro também recordou as dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19 e enalteceu seu “respeito” a liberdade ao não “fechar o país”. “Cada vez mais vocês tomam conhecimento do que estamos fazendo no Brasil. Não é virtude. É obrigação da nossa parte. Também nenhum governo enfrentou o que eu passei nos últimos anos. Dois anos de pandemia. Eu tinha o poder de fechar o país, mas não o fiz. Respeitei a liberdade acima de tudo”, ressaltou.

O presidente voltou a citar que um “povo armado, jamais será escravizado” e criticou manifestações anteriores do pré-candidato Lula. “Somos contra o aborto no Brasil. Não queremos restringir o consumo da classe média. Nosso governo respeita os militares e respeita a família”, falou ao finalizar seu discurso.

Horas antes, o chefe de Estado marcou presença em Pelotas, Bagé e em Arvorezinha, onde inaugurou uma obra rodoviária e uma unidade de radioterapia, e vistoriou trabalhos em uma barragem, respectivamente. A gestão e a operação do terminal Lauro Kurtz ficará sob responsabilidade da Infraero, contratada pelo governo do Estado. O acordo, firmado por meio da Secretaria de Logística e Transportes, tem prazo de 24 meses a partir da assinatura da Ordem de Serviço, podendo ser prorrogado.

A companhia também ficará responsável pelo atendimento dos requisitos normativos e regulamentos, nacionais e internacionais, relativos à aviação civil, à infraestrutura e à segurança operacional e aeroportuária. O superintendente de Negócios da Infraero, Rodrigo Medeiros, destacou nesta terça que a empresa vai garantir a gestão necessária para que o terminal gaúcho seja um importante elo de mobilidade, beneficiando não apenas Passo Fundo, mas também a região e o Estado. O governador do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Júnior, acompanhou a comitiva, junto do prefeito Pedro Almeida e de lideranças da região. Do RS, o presidente partiu com sua comitiva para Londrina, no Paraná, para novas agendas no sul do país.

Comentários