90% DOS EMPREGADOS NO RS SÃO JOVENS

Desafios para a entrada e para a permanência dos jovens no mercado de  trabalho – EscreverOnline

Dos 154,3 mil novos vínculos formais de trabalho criados no Rio Grande do Sul entre novembro de 2020 e novembro de 2021, 88,4% do total foram preenchidos por jovens com até 29 anos de idade. A faixa etária entre 18 e 24 anos foi a responsável pelo maior percentual (55,8%), seguido da faixa até 18 anos (19,1%) e dos (as) adultos (as) entre 25 e 29 anos (13,1%).

Os dados fazem parte do Boletim de Trabalho, publicado hoje pelo Departamento de Economia e Estatística, vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (DEE/SPGG). Na outra ponta etária, a população de 50 a 64 anos (-5,8%) e de 65 anos ou mais (-2,8%) teve saldos negativos de empregos formais, reduzindo sua presença nesse mercado ao longo do período.Em novembro de 2021, o número total de vínculos formais de trabalho no Rio Grande do Sul atingiu um estoque de 2,63 milhões de postos, um aumento de 6,2% em relação a novembro de 2020.

A variação percentual ficou abaixo da registrada no país (7,3%), e em 24º lugar no ranking dos estados brasileiros, à frente de Rondônia, Rio de Janeiro e Sergipe. O documento, elaborado pelos pesquisadores Raul Bastos e Guilherme Xavier Sobrinho, é produzido com foco no Estado a partir de informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) e do Novo Caged, do Ministério da Economia.

Quanto à escolaridade dos ocupantes dos novos empregos, 59,3% tinham Ensino Médio completo, enquanto 54,1% do total era representado por mulheres. Conforme o estudo do DEE/SPGG, esses dados relativos aos empregos formais gerados em 12 meses contrastam com os do estoque de empregos ao final de 2020, apurados em outra pesquisa (RAIS), também do Ministério do Trabalho e Previdência. Nela, as mulheres ocupavam 46,2% do total de vínculos formais de trabalho, e os jovens de até 29 anos detinham 28,1% de participação no total.

Comentários