QUASE GAÚCHO DISPUTA PRESIDÊNCIA DA ITÁLIA

Entenda a crise política que traz incerteza ao futuro da Itália - Jornal O  Globo

A eleição presidencial da Itália, que começa nesta segunda-feira, terá a participação de um ‘quase gaúcho’. O jornalista italiano Rainerio Schembri teve o nome lançado pela REA (Radiotelevisioni Europee Associate) e por diversas associações culturais e sociais. O ‘quase gaúcho’ vem porque ele, hoje com 71 anos, viveu por 15 anos no Brasil, sendo, destes, sete em Porto Alegre e oito no Rio de Janeiro. 

Nascido em Nápoles (Itália), o jornalista veio com a família para o Brasil, em função da amizade de seu pai com o empresário Francesco Matarazzo, que havia aberto uma fábrica em Porto Alegre. Da capital gaúcha, recorda dos estudos no Colégio Concórdia e da rotina no bairro Navegantes, próximo ao Guaíba. O contato com a cidade é mantido até os dias atuais, principalmente por meio de contato com familiares. Ele também esteve participando da Feira do Livro de Porto Alegre, 

Desejo de mudanças na Itália

“Como jornalista que sempre lidou com problemas sociais e econômicos, sou simplesmente parte da REA, que representa centenas de pequenas e médias emissoras de rádio e televisão. Nós fizemos uma longa investigação sobre qual deve ser o perfil de um bom presidente. A maioria das pessoas tem um grande medo do futuro e espera um presidente que se comprometa a evitar o completo desmantelamento do estado de bem-estar social”, resume ele, em relação a sua participação no pleito.

Ele também critica o atual sistema de escolha do presidente no país. Isso porque o processo eleitoral é diferente do Brasil, onde há voto direto. Na Itália, o presidente é escolhido 1.009 grandes eleitores, formado por parlamentares. O mandato do atual presidente, Sergio Mattarella, termina em 3 de fevereiro.  Ele também criticou a ausência de oposição no país. 

Schembri também defende que Brasil-Itália devem aumentar as suas relações econômicas e culturais, uma vez que as relações econômicas são essencialmente baseadas nos acordos de parceria assinados em 2010. Sobre a aproximação dos dois países, ele cita uma curiosidade. “Afinal, a história também nos une muito. Por exemplo, poucos sabem na Itália que no Rio Grande do Sul existe até uma cidade (caso único no mundo) que leva o nome do grande herói italiano Giuseppe Garibaldi que participou da guerra dos Farrapos”, recordou.

Comentários