FAMILIARES DAS VÍTIMAS DO CASO KISS VOLTARAM PARA CASA

Sete anos após tragédia da boate Kiss, familiares de vítimas realizam  homenagens e pedem justiça | Correio dos Campos - Notícias dos Campos Gerais

Os familiares das vítimas da tragédia da boate Kiss que acompanharam o julgamento em Porto Alegre retornaram neste sábado para Santa Maria. “Foram dez dias tensos e de muita angústia e agora precisamos descansar”, afirmou o advogado Pedro Barcellos, que faz parte da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM).

Para o presidente da AVTSM, Flávio Silva, a decisão foi satisfatória e importante, uma conquista da sociedade. “Isso prova que, após esses nove anos, a nossa luta foi valorizada. Ela realmente tinha sentido, pois chegou o dia em que alcançamos o objetivo. Valeu a pena essa luta porque vamos proteger muitas vidas daqui em diante, essa é a nossa intenção.” Flávio enfatiza que o resultado não trará os filhos de volta, mas evitará que novas famílias percam seus entes em tragédias como a da Boate Kiss.

Sobre o habeas corpus preventivo, o presidente disse que já esperava. “Porém, seja hoje, amanhã ou em um mês, eles terão a prisão decretada e vão cumprir a pena em regime fechado”, comenta. O diretor jurídico da AVTSM, Paulo Carvalho, que reside em São Paulo, afirmou neste domingo que espera que a justiça reverta a decisão do hábeas e a prisão dos réus, que foram condenados, seja confirmada. Segundo Flávio, 27 de janeiro de 2013 vai continuar marcado, porque é indispensável lembrar dele. “É o contato mais próximo que temos com os nossos filhos e mantém essa chama e lembrança acesas para que a tragédia não caia no esquecimento”, declara.

Comentários