OITO DAS VINTE E UMA REGIÕES DO ESTADO ESTÃO SOB ALERTA

Governo emite os cinco primeiros Alertas do Sistema 3As - Portal do Estado  do Rio Grande do Sul

A ocupação dos leitos de UTIs nos hospitais gaúchos voltou a crescer, chegando a 80% nesta quinta-feira (20). Segundo boletim diário da Secretaria Estadual de Saúde (SES), 1.604 dos 2.731 pacientes internados em 3.412 leitos de unidades de tratamento intensivo estão infectados pelo novo coronavírus.A Covid-19 já atingiu 1 milhão e 49 mil pessoas em todo o Rio Grande do Sul desde o início da pandemia. Nesta quinta-feira, foram confirmados 6.010 novos casos e mais 136 mortes em decorrência da doença, totalizando 27.167 vítimas fatais. São 238,8 óbitos para cada 100 mil habitantes.Por outro lado, mais de 1 milhão de pessoas conseguiram se recuperar, o equivalente a 96% dos infectados, enquanto 18.392 seguem em acompanhamento.Nesta quinta-feira, as notificações de positivados para a doença seguem em alta em cidades como Canoas, que teve 375 novos casos registrados, São Leopoldo (250), Caxias do Sul (216) e Novo Hamburgo (174). Porto Alegre teve 120 casos confirmados e 18 óbitos registrados. Até esta quinta-feira, 8 das 21 regiões do Estado estão em alerta.

PESSOAS COM COMORBIDADES CONTINUAM SENDO VACINADAS

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19 segue em Veranópolis, ampliando a imunização para novos grupos conforme orientações da Secretaria Estadual da Saúde e do Ministério da Saúde. A vacinação contra a COVID-19 está disponível para: ▪️ Pessoas com Deficiência permanente que apresentem limitação motora que cause dificuldade ou incapacidade de locomoção: ▪️ Deficientes auditivos; ▪️ Deficientes visuais; ▪️ Pessoas com alguma deficiência intelectual permanente que limite suas atividades habituais, como por exemplo: trabalhar ou ir à escola; ▪️ Funcionários do sistema penitenciário. E continua a imunização contra a COVID-19 para: ▪️ Pessoas com comorbidades; ▪️ Pessoas com síndrome de Down; ▪️ Pessoas com doença renal crônica. A vacinação para esse público está disponível em todos os Postos de Saúde do município também na próxima semana, conforme horário de funcionamento de cada unidade de saúde. É importante destacar que a vacinação é para as pessoas que tenham acima de 18 anos e se enquadram nas categorias acima descritas. É necessário apresentar documento de identificação, CPF, Cartão de Vacinação, Cartão do SUS e atestados para as comorbidades e deficiências, sendo que em alguns casos as deficiências podem ser auto-declaradas

MAIS 2,5 MILHÕES RECEBEM A SEGUNDA PARCELA DO AUXÍLIO EMERGENCIAL HOJE

Mais 2,5 milhões recebem segunda parcela do auxílio nesta sexta-feira

A Caixa Econômica Federal deposita nesta sexta-feira (21) a segunda parcela do auxílio emergencial para cerca de 2,5 milhões de beneficiários nascidos em maio. Ao todo, serão creditados R$ 492,8 milhões para esse público.   O valor só poderá ser sacado em 8 de junho. Mas até lá o beneficiário pode movimentar o dinheiro por meio do Caixa Tem, aplicativo no qual é possível pagar boletos, comprar pela internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais. Os beneficiários também conseguem movimentar os recursos pelo PIX, sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central. A única exceção às transações se dá para os casos de transferência para conta de mesma titularidade.  O calendário do público geral (aplicativos e meios digitais e inscritos no CadÚnico) é dividido em quatro ciclos, de créditos e de saques. Já os integrantes do Bolsa Família recebem de acordo com o calendário regular do programa. Nesta sexta-feira, recebem o benefício as pessoas com NIS final 4.

FIOCRUZ ENTREGA AO PNI MAIS DE 5 MILHÕES DE DOSES

Dinamarca decide abandonar o uso da vacina da AstraZeneca | Poder360

Por enquanto, não há previsão de que essa interrupção na produção tenha impacto no cronograma de entregas futuras. As entregas são feitas toda sexta-feira, conforme combinado com o Ministério da Saúde, seguindo a logística de distribuição definida pela pasta. “Caso haja impacto, isso será avaliado e comunicado mais à frente”, afirma nota da Fiocruz.  Com a nova remessa dessa sexta-feira, a fundação completa 40 milhões de doses entregues ao PNI. Do total, 36,2 milhões foram produzidas no Bio-Manguinhos (Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos), no Rio de Janeiro, e as primeiras 4 milhões foram importadas já prontas da Índia. “Ao todo, a Fundação já produziu em torno de 50 milhões de doses do imunizante. As demais doses produzidas se encontram em diferentes etapas do processo de controle de qualidade”, disse a Fiocruz por meio de nota.  O Instituto Butantan, que também paralisou no último dia 13 a fabricação da CoronaVac por falta insumos, deve receber lotes de IFA a partir da próxima quarta-feira (26). Serão 4 mil litros de insumos da China para a produção de cerca de 7 milhões de doses. A última entrega, de 1,1 milhão de doses ao Ministério da Saúde, ocorreu no dia 14 de maio. O instituto já entregou mais de 47 milhões de doses ao PNI. Apesar da incerteza, mantém a previsão de entrega de 100 milhões de doses até 30 de setembro. O Ministério da Saúde afirma que já foram distribuídas 90,6 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 aos estados e Distrito Federal desde o início da campanha de vacinação, em 18 de janeiro. Segundo a pasta, foram aplicadas 55,7 milhões de doses. Além da CoronaVac e da Oxford/AstraZeneca, também começou a distribuição da Pfizer em maio. “Ao todo, a Fundação já produziu em torno de 50 milhões de doses do imunizante. As demais doses produzidas se encontram em diferentes etapas do processo de controle de qualidade”, disse a Fiocruz por meio de nota.  O Instituto Butantan, que também paralisou no último dia 13 a fabricação da CoronaVac por falta insumos, deve receber lotes de IFA a partir da próxima quarta-feira (26). Serão 4 mil litros de insumos da China para a produção de cerca de 7 milhões de doses. A última entrega, de 1,1 milhão de doses ao Ministério da Saúde, ocorreu no dia 14 de maio. O instituto já entregou mais de 47 milhões de doses ao PNI. Apesar da incerteza, mantém a previsão de entrega de 100 milhões de doses até 30 de setembro. O Ministério da Saúde afirma que já foram distribuídas 90,6 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 aos estados e Distrito Federal desde o início da campanha de vacinação, em 18 de janeiro. Segundo a pasta, foram aplicadas 55,7 milhões de doses. Além da CoronaVac e da Oxford/AstraZeneca, também começou a distribuição da Pfizer em maio.

ESTUDO INDICA QUE MÃES GRÁVIDAS VACINADAS TRASNFEREM ANTICORPOS AOS FILHOS

Gestantes ainda devem se imunizar contra a influenza em Rondonópolis -  Primeira Hora

A notícia de que um bebê nasceu em Santa Catarina com anticorpos contra a Covid-19 trouxe empolgação a muitos outros pais com a proteção proporcionada pela vacina aplicada na mãe da criança. A médica Talita Menegali, que trabalha em um posto de saúde em Tubarão, no sul do Estado vizinho, tomou a primeira dose da vacina Coronavac em fevereiro, ainda com 34 semanas de gestação, e a segunda já em março. No dia 11 de abril, nasceu o menino Enrico. No segundo dia de vida do garoto, ele foi testado, e o exame deu positivo para anticorpos contra a doença. Ainda é preciso aprofundar estudos a respeito de como se dá essa transmissão de anticorpos e quanto tempo ela dura, mas a Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Rio Grande do Sul (Sogirgs) aponta que é grande a chance de que outros bebês recebam de suas mães, a proteção contra o novo coronavírus. Talita disse que a decisão de tomar a vacina foi tomada por ela, o marido e o obstetra, já que mesmo durante boa parte da gestação, ela atuava na linha de frente contra a doença em uma unidade do município catarinense de cerca de 100 mil habitantes. “A decisão de verificar os anticorpos surgiu depois que vimos que uma criança nos Estados Unidos, nascer com a imunidade”, recorda a médica. Depois que ela tomou a Coronavac, Talita disse nada ter mudado, mesmo grávida. “Não tive nenhum efeito colateral. Nasceu superbem”, relata. No segundo dia de vida, Enrico coletou sangue para o exame. A jornada da mãe e do filho, acabou se tornando um “relato de caso”, um tipo de artigo científico, sob as mãos do irmão e mais três especialistas da medicina. Algo que fez o caso ganhar repercussão após o secretário de Saúde do município ter tido acesso aos resultados e revelá-lo à mídia local. “Mandei meu exame para o secretário de saúde e para ter certeza da positividade, aí três pesquisadores resolveram fazer um relato de caso. Fiz isso para incentivar outras gestantes a se vacinarem, mostrar que não há problema”, destaca Talita. De acordo com o médico Valentino Magno, membro da Sogirgs e membro da Comissão de Vacinas da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), diz que há muitos estudos, a maioria com a Pfizer, que mostram que as mães vacinadas produzem imunoglobulina, um tipo de anticorpo presentes no leite materno por até 20 dias, no mínimo.

EMBAIXADOR DA CHINA PROMETE ENTREGAR AO BRASIL NA PRÓXIMA SEMANA MAIS INSUMOS DAS VACINAS

Venceu a ciência', diz Maia sobre aprovação de vacinas; veja repercussões

Depois de reunir-se com governadores para tratar da liberação de insumos para produção de vacina contra a Covid-19, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, postou em rede social que o país asiático liberou novos lotes de insumo farmacêutico ativo (IFA) suficientes para fabricar 16,6 milhões de doses de vacinas Coronavac e da Oxford/AstraZeneca. Os lotes de matéria-prima para produção dos fármacos “chegarão nos próximos dias” ao Instituto Butantan e Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), escreveu o diplomata. O Ministério da Saúde afirma que já foram distribuídas cerca de 90 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, que já matou mais de 440 mil brasileiros, desde o início da campanha de vacinação, em 18 de janeiro. Segundo a pasta, até ontem foram distribuídas mais de 85,2 milhões de doses aos estados e Distrito Federal. Além da Coronavac e da Oxford/AstraZeneca, também começou a distribuição da Pfizer em maio.

ESTUDOS APONTAM QUE A VACINA DA ASTRAZÊNECA ATINGE 90% DE EFICÁCIA APÓS A SEGUNDA DOSE

Cientistas e governos negam notícia de que vacina de Oxford tem 8% de  eficácia em idosos - Olhar Digital

Duas doses da vacinade Oxford/AstraZenecapodem gerar uma eficácia de aproximadamente 85% a 90% contra quadros sintomáticos da covid-19, afirmou o Departamento de Saúde Pública da Inglaterra (PHE, na sigla original) na quinta-feira, 20. Entretanto, o órgão reforçou que ainda não há dados suficientes para um resultado final e conclusivo. A Inglaterratem apresentado um dos esquemas de vacinação mais rápidos na pandemia, gerando uma porção de dados sobre a performance das doses no mundo real. O país foi um dos primeiros a utilizar a vacina da AstraZeneca, que enfrentou dúvidas sobre a construção de seu estudo clínico, eficácia do imunizante e o intervalo ideal entre suas duas aplicações. O departamento inglê disse que seus dados preliminares sobre a eficácia de duas doses da AstraZeneca são os primeiros que até agora testaram a performance do imunizante no mundo real. A AstraZeneca recebeu as informações preliminares com entusiasmo. “Esse dado mais recente do mundo real demonstra a eficácia da nossa vacina contra a covi-19”, disse um porta-voz da empresa.

NÚMERO DE MORTOS PELA COVID 19 PODE SER TRÊS VEZES MAIOR

Coronavírus no Mundo já matou mais de 2,5 milhões; veja quadro por país

O excesso de mortes provocado pela pandemia é entre duas e três vezes maior que os óbitos atribuídos à covid-19 desde a detecção dos primeiros casos no fim de 2019 na China, afirmou a Organização Mundial da Saúde (OMS). Durante a publicação de seu relatório anual sobre as estatísticas de saúde no mundo, a OMS informou que a Covid-19 provocou no ano passado pelo menos três milhões de mortes diretas ou indiretas. Mas o balanço oficial de óbitos atribuídos ao coronavírus no fim de 2020 era de 1,8 milhão. “Isto corresponde a estimativas similares, que previam que o número total de mortes seria ao menos duas a três vezes maior que o balanço oficial de mortos por Covid-19”, afirmou Samira Asma, vice-diretora geral responsável por dados na OMS. De acordo com os cálculos, a especialista acredita que a pandemia provocou até o momento “de seis a oito milhões” de mortes diretas e indiretas. “A pandemia de covid constitui uma ameaça importante para a saúde e o bem-estar das populações de todo o mundo”, destacou. Samira Asma afirmou ainda que a OMS está trabalhando com os países para determinar qual é o “verdadeiro balanço humano da pandemia e, assim, estar melhor preparada para a próxima urgência”. A diferença entre os que especialistas denominam de “excesso de mortes” e o balanço oficial de óbitos vinculados à Covid-19 é provocada por vários fatores.

Comentários