GOVERNADOR EDUARDO LEITE EM LIVE COM PREFEITOS ESTUDA NOVAS REGRAS PARA A PAMDEMIA

Geral - Eduardo Leite e comitê analisam 10 pedidos para mudar bandeira  vermelha para laranja

Umas das críticas mais repetidas pelos prefeitos a respeito do atual modelo de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul, a tomada vertical de decisões por parte do governo estadual, incomodou muito dos gestores municipais ao longo desta pandemia de Covid-19. Mas agora buscando o diálogo, depois de alguns dias sendo formatado pelos integrantes do gabinete de crise, o governador Eduardo Leite chamou pela primeira vez prefeitos, parlamentares e secretários para discutir o modelo que irá substituir o atual no próximo dia 10. O encontro, fechado à imprensa, foi realizado por videoconferência às 18 horas desta terça-feira.  A reunião é a primeira de uma série de debates de deverão ocorrer ainda nesta semana sobre o assunto. Por se tratar apenas de um debate interno, não foi tomada nenhuma decisão, bem como Leite preferiu não se pronunciar. Foram convidados os deputados Zilá Breitenbach (PSDB) e Mateus Wesp (PSDB), os presidentes das associações regionais de municípios, como o prefeito de Porto Alegre e presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal), Sebastião Melo, o secretário de Articulação e Apoio aos Municípios, Luiz Carlos Busato, o da Secretaria Extraordinária de Apoio à Gestão Administrativa e Política, Agostinho Meirelles. Também esteve presente o secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia, Luís Lamb, que preside o comitê de dados do governo gaúcho, e a secretária da Saúde, Arita Bergmann, além do presidente da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Maneco Hassen. O modelo de Distanciamento Controlado será substituído, segundo o próprio governador, devido à nova etapa no enfrentamento à pandemia, cuja decisão foi anunciada no dia 27 do mês passado. Foi decisivo, no entanto, o descrédito crescente que atingiu o modelo devido a uma série de alterações, promovidas para atender reivindicações de prefeitos, setores do comércio e da gastronomia e, por último, para viabilizar a volta às aulas. No documento permaneceria o controle da pandemia baseado nas 21 regiões covid, nas sete macrorregiões e no Estado como um todo, assim como ocorria no Distanciamento Controlado. Caberia ao governo do Estado estabelecer as restrições mínimas obrigatórias que os municípios terão que seguir em qualquer hipótese. Por exemplo, uso obrigatório de máscara em ambiente coletivo aberto ou fechado, e o protocolo padrão, formado por conjunto de regras, ajustáveis, considerando  o quadro atual da pandemia, que poderão ser ajustados ou  adotados na integralidade pelas regiões. Aos municípios, caberia adotar protocolos por atividades mais flexíveis do que o padrão Piratini desde que sejam respeitadas as restrições mínimas obrigatórias, a  adesão de dois terços das prefeituras da região, a apresentação de Plano de Fiscalização dos protocolos a serem adotados. Na prática, como praticamente ocorria na cogestão.  Os municípios seguiriam podendo adotar regras mais rígidas do que as do Estado.

PRESIDENTE JAIR BOLSONARO SANCIONA ANTECIPAÇÃO DO 13º SALÁRIO

Presidente Jair Bolsonaro sanciona lei de abuso de autoridade com 19  artigos vetados

O presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que antecipa o pagamento do 13º de aposentados do INSS neste ano. O pagamento será feito em duas parcelas. A primeira, correspondente a 50% do valor, será paga juntamente com os benefícios de maio, entre os dias 25 de maio e 8 de junho. A segunda parte será paga com os benefícios de junho, entre 24 de junho e 7 de julho. Normalmente, o 13º dos aposentados é pago nas competências de agosto e novembro. A intenção de antecipar o benefício já tinha sido anunciada pelo governo como medida para incrementar a renda dos beneficiários do abono e favorecer o processo de recuperação da economia após o impacto da pandemia do novo coronavírus. Segundo estimativas do Ministério da Economia, a medida deve injetar R$ 52,7 bilhões na economia do País. “A grande maioria dos beneficiários da Previdência Social são pessoas idosas, doentes ou inválidas, portanto integrantes dos grupos mais vulneráveis ao coronavírus, que terão, por meio da medida, maior segurança financeira neste momento delicado para a saúde e a economia”, afirma a Secretaria Geral da Presidência da República em nota divulgada ontem. A medida não terá impacto orçamentário pois trata-se apenas da antecipação do pagamento do benefício, sem acréscimo na despesa prevista para o ano. A confirmação do pagamento antecipado aos aposentados, no entanto, dependia da sanção do Orçamento de 2021. Os gastos obrigatórios estavam sendo feitos de forma provisória na proporção de 1/12 ao mês em relação ao estimado na proposta orçamentária, como autoriza a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Pagar o 13º mais cedo que o habitual elevaria essa proporção. O decreto presidencial ainda deve ser publicado no Diário Oficial da União.

HOJE TEM AUXÍLIO EMERGENCIAL

Prefeitura de Veranópolis - Governo Federal disponibiliza Auxílio  Emergencial

A Caixa Econômica Federal libera nesta quarta-feira (5) o saque em dinheiro do auxílio emergencial para 2,38 milhões de beneficiários nascidos em abril. Ao todo, foram creditados R$ 492,87 milhões para esse público em 13 de abril. De lá para cá, o valor só pôde ser movimentado pelo Caixa Tem, aplicativo no qual os beneficiários conseguem pagar boletos, comprar pela internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais. Desde a última sexta-feira (30), o público geral que recebe o auxílio também já pode movimentar o dinheiro usando o Pix, sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central. A única exceção às transações se dá para os casos de transferência para conta de mesma titularidade. Conforme o Ministério da Cidadania, o modelo de escalonamento das transferências e saques, adotado no ano passado durante a primeira rodada do auxílio emergencial, segue com o objetivo de evitar filas e aglomerações nas agências da Caixa e nas lotéricas. A nova rodada do auxílio emergencial terá quatro parcelas, de abril a julho, com valor médio de R$ 250. Mulheres chefes de família receberão R$ 375 e pessoas que vivem sozinhas, R$ 150. A estimativa é de que as quatro cotas cheguem a cerca de 40 milhões de famílias.

NOVIDADE: WHATSAPP OFERECE OPÇÃO PARA TRANSAÇÕES COMERCIAIS

Whatsapp Pay deve entrar no ar hoje. Mas não vai ser tão fácil viralizar |  NeoFeed

O WhatsApp anunciou ontem que pessoas físicas poderão transferir dinheiro por meio do app de mensagens, sem a cobrança de taxas. O recurso, chamado de WhatsApp Pay, começa a ser implementado gradualmente entre os usuários da plataforma nas próximas semanas. O serviço recebeu aval do Banco Central (BC) em 30 de março. O serviço estará disponível para clientes com cartões de débito, pré-pago ou combo das seguintes instituições financeiras: Banco do Brasil, Banco Inter, Bradesco, Itaú, Mercado Pago, Next, Nubank, Sicredi e Woop Sicredi, com as bandeiras Visa e Mastercard. Operado pela Cielo, o modelo segue aberto para outras empresas interessadas em se tornar parceiras. Cartões de crédito não foram contemplados. Os usuários poderão enviar até R$ 1 mil por transação e receber 20 transações por dia, com um limite de R$ 5 mil por mês. Os bancos parceiros podem estabelecer um limite menor para transações. Para usar o WhatsApp Pay, é preciso que o brasileiro tenha número de telefone cadastrado no País para que as transações em moeda local sejam autorizadas. O WhatsApp Pay utiliza uma ferramenta da empresa-mãe, o Facebook Pay, para realizar as transações pelo app. Com isso, as transferências são protegidas com senha ou biometria. Neste momento, apenas alguns usuários poderão utilizar o recurso e o restante vai receber a ferramenta gradativamente. Porém, se uma conta estiver com o pagamento habilitado, ela pode convidar parentes e amigos para a transação financeira – eles vão estar aptos para utilizar a ferramenta. Para fazer um pagamento, é necessário usar cartão de débito ou pré-pago e clicar no contato e escolher a opção para adicionar a transição. O recebedor terá o dinheiro na conta na hora.

ATOR E COMEDIANTE PAULO GUSTAVO MORREU POR COMPLICAÇÕES DO COVID 19

Paulo Gustavo chega a um mês internado com Covid-19; confira detalhes do  quadro do ator - Zoeira - Diário do Nordeste

Morreu na noite desta terça-feira, vítima de complicações da Covid-19, o ator e humorista Paulo Gustavo. Ele estava internado em um hospital do Rio de Janeiro desde 13 de março, em uma Unidade de Terapia Intensiva. O quadro de Paulo Gustavo se deteriorou muito nas últimas 48 horas. Ainda na noite desta terça-feira, o hospital divulgou um boletim médico no qual afirmava que o quadro era irreversível. “Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, dia 3, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante. Apesar da irreversibilidade do quadro, o paciente ainda se encontra com sinais vitais presentes”, apontou a nota oficial.  Uma semana após a confirmação da internação, no entanto, Paulo Gustavo precisou ser transferido para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para ser intubado. Criado em uma família de classe média no Rio, Paulo Gustavo nunca teve problema com sua sexualidade, desde jovem. Em dezembro de 2015, casou-se com o dermatologista Thales Bretas e, quatro anos depois, nasceram os filhos Romeu e Gael, nascidos de diferentes barrigas de aluguel. Trajetória — Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros nasceu em Niterói, Rio de Janeiro, em 1978. Ele pertence a uma geração de comediantes que se formaram na Casa de Artes de Laranjeira, a CAL, no Rio, como Fábio Porchat e Marcus Majela, entre outros. Seu primeiro sucesso aconteceu em 2004 quando, na peça Surto, apresentou a personagem que marcaria sua carreira, Dona Hermínia. No ano seguinte, após se formar na CAL, passou a integrar o elenco de Infraturas, mas o grande reconhecimento de público veio em 2006 com o espetáculo Minha Mãe é uma Peça, que rendeu três adaptações para o cinema (2013, 2016 e 2019), que conquistaram enorme bilheteria.

PREFEITURA LANÇA CAMPANHA CONTRA CÂNCER DE BOCA

No Brasil, 15 mil novos casos de câncer de boca são estimados a cada ano, cerca de 1000 só no Rio Grande do Sul. A taxa de mortalidade se mantém em 50% e o diagnóstico tardio parece ser o principal responsável por este quadro, pois quanto mais avançado, mais limitadas são as alternativas de tratamento e pior é o prognóstico. Se diagnosticado no início, o câncer de boca tem cura. Esclareça suas dúvidas com um profissional de saúde.

O que é o câncer de boca? É um tipo de tumor maligno que acomete: lábios, gengiva, bochechas, céu da boca (palato), língua (principalmente as bordas) e assoalho da boca (região embaixo da língua).

Quais os principais sinais de alerta para o câncer de boca? Feridas nos lábios e na boca que não cicatrizam por mais de 15 dias, manchas ou placas vermelhas ou esbranquiçadas na boca e sangramentos sem causa conhecida em qualquer região da boca. Esses sinais podem não se confirmar como câncer de boca, mas precisam ser investigados por um profissional de saúde.

Além desses, existem outros sinais ou sintomas? Sim. Pode haver nódulos (caroços) no pescoço e rouquidão persistente. Em fases mais avançadas da doença, a pessoa pode apresentar dificuldade para falar, mastigar ou engolir.

O que pode levar a pessoa a ter câncer de boca? O fumo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas são os principais fatores de risco. Quanto maior o número de cigarros e de doses de bebidas alcoólicas ingeridas, maiores são as chances de ter a doença. Além disso, a exposição ao sol sem proteção é um fator de risco para o desenvolvimento de câncer de lábio.

Existem outros fatores de risco? Sim, o vírus HPV (Papiloma Vírus Humano), quando transmitido por sexo oral, está associado a casos de câncer na cavidade oral. A alimentação pobre em frutas, legumes e verduras pode também estar relacionada à ocorrência desse câncer.

Como descobrir o câncer de boca? Por meio do exame clínico da boca, realizado por dentista ou médico, em qualquer unidade de saúde. O exame clínico da boca é um procedimento simples de observação que não requer instrumentos especiais, podendo ser feito nas consultas odontológicas ou médicas. Com esse exame é possível visualizar lesões suspeitas e diagnosticar o câncer de boca no início.

O que fazer para diminuir o risco do câncer de boca? Não fumar, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, ter uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes e usar preservativo (camisinha), inclusive durante a prática do sexo oral.

O câncer de boca tem cura? Sim, principalmente se diagnosticado e tratado nas fases iniciais.

Comentários