RIO GRANDE DO SUL RECEBEU HOJE MAIS VACINAS CONTRA A COVID 19

Lote com 645.150 vacinas contra a covid-19 chega ao RS | GZH

O novo lote com 441.550 doses de vacina contra a Covid-19 chegou nesta sexta-feira ao Rio Grande do Sul. No total, são 173.800 da Coronavac, do Instituto Butantan; e 267.750 da AstraZeneca, da Fiocruz. As novas vacinas devem priorizar levemente a aplicação de segunda dose do plano de imunização contra a Covid-19. Serão 231.665 doses para quem já realizou a vacinação inicial e outras 221.165 para a primeira aplicação. Desta nova remessa com 441.550 de imunizantes, 72.090 serão destinadas para Porto Alegre seguir a imunização da população. As metas do governo estadual são completar a segunda aplicação de Coronavac de 65% das pessoas que se vacinaram com a remessa recebida em 20 de março. Além disso, a administração quer garantir a segunda aplicação de AstraZeneca de 50% das pessoas que se vacinaram com a remessa recebida em 24 de janeiro. Além disso, totalizar os idosos de 63 anos e chegar a 90% dos idosos com 62 anos. Desde o começo da semana, o governo federal demonstrou preocupação com o atraso da segunda dose para aquelas que receberam a primeira rodada da vacina. O Ministério da Saúde chegou a informar que 1,5 milhão de pessoas estavam com o ciclo de imunização atrasado. Em alguns casos, encontrados em Porto Alegre, há pessoas que poderiam ter recebido a última dose em fevereiro. 

Municípios da Serra Gaúcha – economiasg

SERRA GAÚCHA VAI RECEBER 45 MIL DOSES DE VACINAS

Os 49 municípios que fazem parte da 5ª Coordenadoria Regional de Saúde, que tem sede em Caxias do Sul, vão receber um montante de 44.935 doses da vacina contra a covid-19 nos próximos dias. O lote, que chegou ao Estado nesta sexta-feira, contempla doses para iniciar a imunização de idosos com 62 anos ou mais. No entanto, Caxias do Sul, por exemplo, já começou a vacinação desse grupo. As ampolas para a primeira dose são do laboratório Astrazeneca. No total, a região vai receber 12.270 vacinas para começar a imunização para quem está na faixa dos 62 anos e 10.905 para aqueles com 63 anos ou mais. O restante é destinado para completar a imunização. No total, o Estado recebeu 441.550 doses da vacina contra a covid-19. A Serra vai receber, portanto, cerca de 10% das doses destinadas ao RS. Caxias do Sul, o município mais populoso da Serra, terá acesso a um total de  17.625 doses. 

GOVERNO FEDERAL REPASSA BENEFÍCIO À BOLSA FAMÍLIA

13° do Bolsa Família finaliza pagamento hoje em Pernambuco; veja como  receber

Os beneficiários do Bolsa Família começam a receber a primeira parcela do novo auxílio emergencial a partir desta sexta-feira. Esse grupo segue o calendário regular de pagamento do programa, que é realizado nos dez últimos dias úteis de cada mês, de forma escalonada, de acordo com final do Número de Identificação Social (NIS). Serão beneficiados ao todo mais de 10 milhões de pessoas do programa, mas hoje recebem o pagamento quem tem o NIS final 1 (confira o calendário completo abaixo). O processamento da base de dados para esse público foi concluído e pode ser consultado para saber quem vai receber pelo site. Segundo o Ministério da Cidadania, o valor da folha de pagamento do auxílio emergencial para o Bolsa Família em abril é de R$ 2,98 bilhões. A maior parte dos beneficiários (mais de 50%) é composta por mulheres chefes de famílias: 5,098 milhões de pessoas que receberão R$ 375 cada. Em segundo lugar aparecem os beneficiários que receberão o valor padrão. Eles representam 3,34 milhões com direito a R$ 250 (33,4% da folha). Outras 15,7% das famílias são unipessoais: 1,56 milhão de contemplados com R$ 150 cada.  Outros 4,59 milhões de beneficiários não foram considerados elegíveis ao auxílio em abril. Eles seguirão recebendo o valor habitual do programa. Segundo as regras, o público do programa recebe o auxílio desde que existam pessoas na família que atendam aos critérios e o valor seja maior que a quantia já recebida pelo Bolsa Família. O repasse federal para contemplar esse grupo de 4,59 milhões será de R$ 853 milhões. Com isso, a folha completa de pagamentos do mês de abril para o Bolsa Família soma R$ 3,8 bilhões e contempla um total de 14,6 milhões de famílias. As pessoas podem fazer a contestação a partir desta sexta-feira (16), no Portal de Consultas da Dataprev. O período de contestações para esse público segue até 1º de maio. Outros grupos — Até agora, já foram contemplados os nascidos em janeiro, fevereiro, março, abril e maio dos cadastrados pela Caixa e pelo CadÚnico, num total de 11,88 milhões de famílias e com um repasse de R$ 2,46 bilhões. O próximo grupo que vai receber o auxílio é o de nascidos em junho, no domingo (18). Serão mais 2,43 milhões de famílias contempladas com transferências de recursos federais que somam R$ 502 milhões. O calendário de repasses da primeira parcela segue até o dia 30 deste mês. A Caixa antecipou o início do calendário de saques e transferências para o dia 30 de abril, em vez de 4 de maio. Também foram antecipadas as duas últimas datas do calendário de débito. A estimativa é de que as quatro parcelas do auxílio emergencial chegue a um total de 40 milhões de famílias. Desde 2 de abril, os trabalhadores que se inscreveram pelos meios digitais da Caixa e os integrantes do Cadastro Único do governo federal podem conferir se têm direito a receber o benefício pelo site .www.cidadania.gov.br/auxilio.

GOVERNO GAÚCHO RECORRE AOS STF PARA INCLUIR PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO NA PRIORIDADE DA VACINAÇÃO

O governador Eduardo Leite, representado pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE), ajuizou, na noite da quinta-feira (15/4), no Supremo Tribunal Federal, arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) com pedido de medida cautelar de urgência para a priorização da imunização contra a Covid-19 aos profissionais da área da educação no Estado. Em sua manifestação inicial a PGE destaca que a violação de preceitos fundamentais que leva ao ajuizamento da arguição decorre da prática de atos administrativos pelo Ministério da Saúde, na elaboração do Plano de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 e na ordem de vacinação dos grupos prioritários, os quais desrespeitam normas fundamentais da Constituição. Nesse sentido, a Procuradoria pontuou como preceitos fundamentais violados o pacto federativo, as competências do ente estadual para a tutela da saúde, a proteção de crianças e adolescentes, o direito fundamental à educação e a prioridade absoluta de proteção às crianças e aos adolescentes, em respeito à condição peculiar das pessoas em desenvolvimento. A PGE esclarece que o ponto principal da discussão é a correção dos critérios para definir a ordem entre os grupos prioritários pelo Ministério da Saúde, que não contemplam os profissionais da área da educação, diante dos preceitos fundamentais da República Brasileira. A Constituição fixa regra de absoluta prioridade dos direitos à vida, à alimentação, à educação e a outros direitos das crianças e dos adolescentes, o que, até o momento, foi ignorado pelo Programa Nacional de Imunizações. O procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, destacou que “os direitos de crianças e adolescentes devem ser salvaguardados em um cenário de pandemia da Covid-19, inclusive para protegê-los de toda forma de negligência e exploração. Assim revela-se inadequado que, até o momento, nenhuma dose de imunizante tenha sido destinada aos trabalhadores da educação, os quais estruturam a principal rede externa e complementar à família para proteção e desenvolvimento dos menores de idade”. O texto ressalta também que ao se aproximar do término da vacinação dos idosos e dos profissionais da saúde, havendo recente decisão ministerial pela priorização da segurança pública, o critério utilizado pela União para destinação dos imunizantes, ao não contemplar os profissionais de educação, deixa de adotar medida necessária para viabilizar o pleno acesso à educação às crianças e adolescentes, direito que, nos termos do que está expressamente previsto no texto constitucional, constitui prioridade absoluta. A PGE também lembra que o governo do Estado do Rio Grande do Sul tem buscado, de todas as formas, permitir o exercício presencial das atividades de educação infantil e da educação básica (1º e 2º anos), o que se fundamenta na essencialidade do contato presencial para o pleno desenvolvimento desses indivíduos. Entretanto, o Plano Nacional de Imunizações não vem conferindo devida prioridade aos profissionais da educação, o que vai de encontro aos interesses das crianças e dos adolescentes, desconsiderando a prioridade da proteção desses indivíduos e violando o já referido preceito fundamental.

MINISTERIO DA SAÚDE AFIRMA QUE O BRASIL ULTRAPASSOU 50 MILHÕES DE VACINADOS

Brasil inicia campanha de vacinação contra gripe - OPAS/OMS | Organização  Pan-Americana da Saúde
Ministro da Saúde Marcelo Queiroga

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira ultrapassou a marca de 50 milhões de doses de vacinas Covid-19 distribuídas em todo o Brasil. Segundo a pasta, a partir desta sexta, mais 6,3 milhões de doses serão enviadas para todos os estados e o Distrito Federal. De acordo com o Ministério da Saúde, até o momento, mais de 31,9 milhões de doses foram aplicadas em todo o País. “Com esse novo lote, a pasta já coordenou a distribuição de mais de 53,9 milhões de doses desde o início da campanha de vacinação [em 18 de janeiro]”, informou o ministério em nota distribuída à imprensa. Conforme o governo federal a remessa conta com 3,8 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, da  Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e com 2,5 milhões de doses da CoronaVac, do Instituto Butantan, ambas produzidas no Brasil com matéria-prima importada. “O envio, de forma proporcional e igualitária entre as Unidades Federativas (UFs), ocorre a partir desta sexta-feira”, diz a nota oficial. O 11º informe técnico da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) explica que mais um grupo prioritário será atendido: o de idosos entre 60 e 64 anos. Também estão sendo destinadas doses para idosos entre 65 e 69 anos, trabalhadores da saúde e forças de segurança e salvamento, além das Forças Armadas que atuam na linha de frente da pandemia.

CAMPANHA DO AGASALHO 2021 EM VERANÓPOLIS

A Prefeitura de Veranópolis, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, Habitação e Longevidade, está arrecadando doações para a Campanha do Agasalho 2021. Neste ano, além dos agasalhos e cobertores, solicita-se também a doação de alimentos. A inclusão acontece devido a grande procura, ocasionada pela pandemia da COVID-19, que aumentou a demanda recebida pelo Poder Público Municipal. Assim como nos anos anteriores, haverá diversos pontos de coleta no município, como agências bancárias, redes de supermercado, estabelecimentos comerciais, Corpo de Bombeiros, Prefeitura e a Secretaria de Desenvolvimento Social, Habitação e Longevidade. Os locais estarão identificados com os cartazes da campanha deste ano. Doe alimentos, cobertores e roupas e ajude a aquecer a vida das pessoas mais vulneráveis da Terra da Longevidade.

Comentários