STF DEFINIU: NÃO AO RETORNO ÀS AULAS NO ESTADO

Rádio Guaíba on Twitter: "Instituto Federal do Rio Grande do Sul suspende  aulas até dia 21 - https://t.co/BgFJn6mUJh… "

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, negou recurso do governo do Rio Grande do Sul para a liberação da volta às aulas no Estado. A Procuradoria-Geral do Estado (PGE-RS) havia entrado com o pedido após primeira e segunda instância terem negado a retomada, por conta da pandemia da Covid-19. Mesmo com todas as regiões gaúchas sob a bandeira preta no modelo de Distanciamento Controlado, o Palácio Piratini pretendia manter a realização das atividades em sala de aula para os alunos da Educação Infantil e 1º e 2º anos do Ensino Fundamental. Por isso, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) contesta a restrição imposta pela Justiça sob o argumento de que há protocolos garantindo a segurança sanitária nas escolas. O Governo defende, ainda, que a realização das aulas presenciais para estes grupos é opcional, tanto para as instituições de ensino quanto para as famílias. O magistrado que vetou a retomada das atividades em primeira instância, entretanto, classifica o ponto de vista levantado pelo Piratini como “absolutamente incoerente com os critérios estabelecidos pelo próprio administrador”. Para o desembargador Antonio Vinicius Amaro da Silveira, mesmo que os protocolos tenham evoluído a ponto de estabelecerem um aprendizado seguro acerca de suas aplicações práticas, “não há margem para experimentar a efetividade destes protocolos sanitários de saúde neste momento tão cruel, principalmente por absoluta ausência de vagas hospitalares na hipótese de eventual maior sobrecarga de pacientes”.

NOVO AUMENTO DE ÓBITOS REGISTERADOS NO ESTADO

Informações sobre o novo coronavírus (COVID-19) - Pfarma

O Rio Grande do Sul registrou, nesta quinta-feira, 188 novas mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, o maior volume diário de óbitos reportados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) na pandemia. O maior acumulado diário era de 185 casos, também registrado neste ano. Os óbitos divulgados hoje ocorreram em 82 municípios gaúchos. Com os novos números, o Estado passa a registrar 13.021 vítimas fatais em decorrência no coronavírus. A taxa de mortalidade, nesta quinta-feira, é de 114,1 por 100 mil habitantes. O boletim atualizado da pasta também informou 9.994 novos infectados por coronavírus. Este é o maior volume diário divulgado em 2021, e o segundo considerando toda a pandemia. Os novos contaminados são residentes em 360 das 497 cidades do Estado. A taxa de ocupação de UTIs no RS segue acima de 100% nesta quinta-feira. De acordo com os dados estaduais, na tarde de hoje, a rede hospitalar tinha superlotação de 101,1%, atendendo 33 pacientes além do suportado pela estrutura. A maior sobrecarga está nos leitos privados, com demanda de 130,5%.

PANDEMIA: AMÉRICA LATINA ATINGE ALTO INDICE DE POBREZA

Coronavírus: pandemia pode jogar até 14 milhões de brasileiros na pobreza,  diz estudo - BBC News Brasil

A pobreza na América Latina aumentou em 2020 e atingiu os níveis mais altos dos últimos 12 anos, alcançando 33,7% da população total da região, devido à crise econômica causada pela Covid-19, informou nesta quinta-feira a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal). Apesar das medidas emergenciais de proteção social adotadas pelos governos da região para conter o avanço do coronavírus, “a pobreza e a pobreza extrema na América Latina alcançaram níveis em 2020 que não eram observados nos últimos 12 e 20 anos, respectivamente”, informa um relatório sobre o impacto social da pandemia, preparado pela entidade. Segundo a Cepal, como consequência da aguda crise econômica derivada da pandemia de coronavírus, que causou uma queda de 7,7% no PIB em todo o ano de 2020 na América Latina, a pobreza atingiu 209 milhões de pessoas, 33,7% da população total da região, de 654 milhões de habitantes. Enquanto isso, a pobreza extrema afetou 78 milhões de pessoas.

BRASIL É O QUINTO PAÍS EM VACINAÇÃO, DIZ PAZUELLO

BRASIL EM PAUTA | Eduardo Pazuello, ministro da Saúde - YouTube

Em visita ao Estado do Paraná, nesta quinta-feira, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, afirmou, sem apresentar a fonte da informação, que o Brasil é o quinto país que mais vacina no mundo, com 17 milhões de pessoas imunizadas desde o início da vacinação. “O Brasil ofereceu até agora 17 milhões de doses. Somos o quinto país no mundo em quantidade total de pessoas vacinadas. Para que os senhores compreendam a diferença, a Argentina ofereceu 320 mil doses para sua população”, disse em Cascavel, no Oeste do Estado, e onde desde sábado 100% dos leitos UTIs estão ocupados. Segundo dados do consórcio da imprensa, porém, o Brasil tem 7,6 milhões de vacinados com a primeira dose e 2,4 milhões de vacinados com a segunda – o que totaliza 9,8 milhões de doses já aplicadas na população. O número de 17 milhões se refere à quantidade de doses distribuídas e não às doses já efetivamente aplicadas. Na Argentina, 1 milhão de pessoas já foram vacinadas, segundo o governo argentino. O Brasil é o quinto país com o maior número de doses já aplicadas na população, em números absolutos – mas está muito atrás no ranking que considera a taxa de vacinados em relação ao total da população. Por essa análise relativa, o Chile e vários países da Europa estão à frente do Brasil. Até esta quinta, só 3,62% da população havia recebido a primeira dose. O ministro disse que, a partir de abril, com as duas fábricas nacionais produzindo vacinas, será possível ao País ter acesso a cerca de 30 milhões de doses por mês, além das vacinas que serão importadas. Afirmou ainda que com isso espera que toda a população seja vacinada até o fim do ano, para que então a Covid-19 tenha a situação amenizada, apesar de ainda termos de conviver com ela por muito tempo. “Para abril vamos estar com as duas fábricas operacionais estabilizadas, com números de 30 a 32 milhões de doses por mês. Não estou falando da Covaxin indiana que foram compradas, nem da Covax que também foi comprada e nem da Pfizer, que ontem (quarta, 3) já foi publicada em Diário Oficial a licitação para compra. Tudo isso é importado, que também somam. O que mais interessa para nós é a fabricação nacional. É ela que nos dará a capacidade de vacinar o povo brasileiro em 2021”, disse o ministro. Pazuello afirmou que todos os brasileiros que quiserem se vacinar terão acesso ainda este ano: “Até a metade do ano a nossa programação é vacinar metade do efetivo vacinável do País, e até o fim do ano todos os cidadãos brasileiros que quiserem ser vacinados e que puderem ser vacinados serão vacinados”.

BOLSONARO VAI À ARGENTINA NOS 30 ANOS DO MERCOSUL

Em primeira reunião do Mercosul, Bolsonaro ataca Venezuela e defende  golpista boliviana - Brasil 247

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta quinta-feira, durante sua live semanal nas redes sociais, que viajará para a Argentina no dia 26 de março. Ele participará das atividades comemorativas dos 30 anos de fundação do Mercosul, bloco de países que reúne Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.  “Vou estar agora, está previsto, dia 26 de março, estar em Buenos Aires, nossa querida Argentina. Estaremos lá celebrando 30 anos da criação do Mercosul. Todo mundo sabe que a Covid-19 causou dificuldades econômicas em todo o mundo e nós torcemos para que a Argentina tenha sucesso nas suas negociações com o FMI [Fundo Monetário Internacional], que a situação financeira da Argentina está bastante complicada. O êxito econômico de países aqui na América do Sul, entre eles a Argentina, é interessante para todos nós da América do Sul. O Brasil obviamente é um dos grandes interessados”, afirmou. Bolsonaro também comentou sobre o encontro que terá com o presidente argentino, Alberto Fernández. “Será a primeira vez que iremos conversar com o presidente da Argentina, logicamente ele queira, e eu quero, uma conversa reservada, nós dois num canto e publicamente vamos tratar das questões econômicas dos nossos países”, disse. VACINAS – Durante a live, o presidente brasileiro defendeu as ações do governo federal na aquisição de vacinas. Segundo ele, ainda este mês o país deve expandir em 20 milhões o número de doses disponíveis.  “Temos contratados no corrente ano, o ministro [da Saúde, Eduardo] Pazuello, 400 milhões de doses até janeiro do ano que vem e temos 178 milhões em tratativas. Neste mês de março, agora, teremos, no mínimo, 20 milhões de doses disponíveis. E, para o mês seguinte, teremos, no mínimo, mais 40 milhões de novas doses”, disse.

HOSPITALIZAÇÕES E VACINAÇÃO EM VERANÓPOLIS

Pode ser uma imagem de hospital e área interna
UTI do Hospital São Peregrino Lazziozi

Quando são contabilizados 170 casos ativos no município, segundo dados do poder público, o Hospital Comunitário São Peregrino Lazziozi, regista atualmente 24 internações em decorrência da Covid-19, sendo 5 pacientes intubados em estado grave no aguardo de leitos de UTI em hospitais com melhores condições de internação e tratamento fora do município. Outras 24 internações de natureza leve e 19 casos seguem recebimento de tratamento especializado. Segundo a direção do Hospital São Peregrino Lazziozi, na hipótese de que venha ocorrer o agravamento de casos, serão abertos outros setores do hospital para novos atendimentos. Atualmente o HSPL conta com uma mini UTI com a capacidade de 5 respiradores. A Secretaria da Saúde do município lembra que nesta sexta-feira no Posto de Saúde Central segue aplicando a vacina para os idosos de 81 a 84 anos que ainda não se vacinaram. Os quais devem entrar em contato por telefone: 3441-1458, para agendar o procedimento. Além dos Profissionais da Saúde que se vacinaram nos dia 3, 4 ou 5 de fevereiro, também devem procurar a unidade para receber a segunda dose do imunizante. Também a secretaria anuncia que Veranópolis recebeu quinta-feira, mais uma remessa de 410 doses da vacina contra a Covid-19, fabricadas pelo laboratório Butantan, as quais estão destinadas para a aplicação da 2º dose do imunizante aos idosos com mais de 85 anos que realizaram a primeira vacina no dia 12 de fevereiro. Essa nova dose será disponibilizada nos Postos de Saúde do município na próxima semana, dia 12 de março, sexta-feira, onde os longevos com mais de 85 anos deverão buscar a complementação da imunização contra a Covid-19.

Comentários