COMEÇA HOJE O PAGAMENTO DE R$300,00 DA BOLSA FAMÍLIA

O Bolsa Família começa a receber as novas parcelas do auxílio emergencial de R$ 300 nesta quinta-feira (17). Com a mudança de valor, 4,9 milhões deixaram de ganhar o auxílio neste grupo, ou seja, 15% dos 19,2 milhões de inscritos em abril. No caso de o benefício ser maior que a nova parcela do auxílio, a pessoa escolhe o mais vantajoso. Esse grupo é o primeiro a ganhar a parcela extra porque segue calendário de pagamento do programa, realizado sempre nos dez últimos dias úteis de cada mês, de acordo com o final do NIS (Número de Identificação Social).  Serão beneficiadas hoje 1,6 milhão de pessoas com NIS final 1. O pagamento segue até o dia 30, para os que têm o NIS final 0. No total, serão pagos R$ 4,3 bilhões para mais de 16,3 milhões de pessoas. Nesta quinta também será liberado o saque para 3,8 milhões de beneficiários com data de nascimento em dezembro, encerrando o ciclo 1 de pagamento. O saque pode ser feito nas agências da Caixa, nos caixas eletrônicos e lotéricas. A transferência dos valores, via aplicativo Caixa Tem, para outras contas também estará liberada para esse grupo. O auxílio foi criado para a população de baixa renda e trabalhadores informais enfrentarem a crise provocada pela pandemia de coronavírus. De três parcelas, passou para cinco de R$ 600 cada, no caso de mãe chefe de família, R$ 1.200. Agora mais quatro de R$ 300 até dezembro. O benefício já foi pago a 67,2 milhões de pessoas, num total de R$ 197 bilhões. O pagamento das novas parcelas para os demais grupos ainda não foi definido pelo Ministério da Cidadania, mas deverá ser incluído no calendário organizado por ciclos de crédito em conta digital e saques em espécie até o final do ano. Os beneficiários recebem a parcela a que têm direito no período de acordo com o mês de nascimento.

VACINA CHINESA TRAZ ESPERANÇA

São animadores os resultados preliminares dos testes da vacina da farmacêutica chinesa Sinovac que estão sendo realizados no Hospital São Lucas (HSL) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs). Até a tarde desta quarta-feira, 505 voluntários já haviam recebido aplicações do imunizante, sendo que 170 já receberam a segunda dose. O coordenador do estudo e chefe do Serviço de Infectologia do HSL, Fabiano Ramos, afirmou que a equipe não tem observado “efeitos adversos importantes”. “São efeitos muito parecidos com os que a vacina da gripe pode causar, como dor no braço, no corpo ou dor de cabeça e eventualmente febre”, afirma. Conforme Ramos, os efeitos são “leves e esperados” e, até o momento, não foi notificado algum efeito adverso grave em nenhum dos participantes a expectativa da equipe do HSL é finalizar as aplicações da vacina no total de 852 voluntários até a metade do mês de outubro. “Estamos fazendo um grande esforço para incluir todas essas pessoas o mais rápido possível”, reforça. Além disso, Ramos reitera que todos os participantes da testagem são profissionais da área da saúde.  “Dos 12 centros de testes, temos a informação de que somos um dos que mais conseguiu incluir pacientes até o momento. Se o número de voluntários será ampliado, nós não sabemos, o que temos estabelecido é que serão 852 no total”, frisa. Depois da aplicação da vacina, Ramos explica que todos os voluntários continuarão sendo acompanhados pela equipe da pesquisa por pelo menos um ano, para que seja possível monitorar os efeitos a longo prazo.

EDUARDO PAZUELLO É MINISTRO DA SAÚDE

Após exatos quatro meses no cargo de ministro interino da Saúde, o general Eduardo Pazuello foi efetivado ontem como gestor da pasta. Ao fazer um discurso de continuidade, como ele mesmo definiu, Pazuello ressaltou que o país alcançou uma “situação de estabilidade bem definida” diante do novo coronavírus. A cerimônia foi usada pelo presidente Jair Bolsonaro para defender as ações de seu governo durante a pandemia e pregar novamente o uso da hidroxicloroquina no combate à doença respiratória.  Bolsonaro chegou a mostrar uma caixa de hidroxicloroquina e questionar autoridades presentes que contraíram o vírus se utilizaram o remédio. Sem detalhar ou citar fontes, o presidente voltou a repetir que 30% das mortes provocadas pela doença poderiam ter sido evitadas com o uso de cloroquina de forma precoce. Ele também defendeu a autonomia de médicos para recomendar o uso do medicamento em qualquer estágio da doença, parabenizando a classe. Bolsonaro não mencionou os 134.106 óbitos pela doença no país e atacou os governadores. “Hoje vemos que essa questão (da pandemia) poderia ter sido tratada de forma um pouco diferente, com pouco mais de racionalidade. Entendo que alguns governadores foram tomados pelo pânico proporcionado por essa mídia catastrófica que nós temos no Brasil. Não é uma crítica à imprensa, é uma constatação”, disse o presidente, ganhando aplausos.

PF FAZ AÇÃO CONTRA CALOTE BILHONÁRIO

A Polícia Federal investiga um esquema de evasão de divisas e lavagem de dinheiro na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai. A operação Cisplatina já apurou que o núcleo do grupo criminoso está localizado em Santana do Livramento, que fica ao lado da cidade uruguaia de Rivera. Os agentes identificaram inclusive pela evasão de cerca R$ 200 milhões em dinheiro, sendo que as movimentações financeiras operacionalizadas pela quadrilha alcançam o montante estimado de R$ 5 bilhões. Na tarde dessa quarta-feira mais uma fase da operação Cisplatina foi realizada com o cumprimento de dois mandados de prisão preventiva, oito mandados de prisão temporárias e um mandado de busca e apreensão, além do bloqueio de todas as contas bancárias registradas em nome de 19 pessoas físicas e jurídicas residentes ou sediadas na região fronteiriça. As medidas foram expedidas pela 7ª Vara Criminal da Justiça Federal em Porto Alegre. De acordo com a Polícia Federal, a organização criminosa recebia em suas contas bancárias valores oriundos das mais diferentes regiões do país. Em seguida, sistemática e quase diariamente, o grupo operacionalizava o saque, o transporte e entrega dos valores em casas de câmbio e outras instituições financeiras do Uruguai. O trabalho investigativo terá prosseguimento.

POSSE DE FUX NO STF CONTAMINA CONVIDADOS COM COVID 19

Pelo menos quatro autoridades que foram à posse do ministro Luiz Fux como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), na quinta-feira passada (10), estão com a covid-19. Na quarta (16), confirmaram o diagnóstico da doença o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e a presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Maria Cristina Peduzzi, que está internada. Também presentes à cerimônia, os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Luis Felipe Salomão e Antonio Saldanha Palheiro contraíram o vírus. Os dois passam bem e têm participado normalmente de sessões de julgamentos da Corte. Na segunda-feira (14), a assessoria do STF já havia informado que Fux foi diagnosticado com coronavírus. Maia afirmou que está bem, sem sintomas mais graves. “Ele manifestou sintomas brandos da doença e está se tratando na residência oficial, onde seguirá em isolamento, respeitando as recomendações médicas”, informou a Câmara, em nota.

PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) escolheu o consórcio Postar para realizar os estudos de privatização dos Correios. O consórcio é formado pela consultoria Accenture e pelo escritório Machado, Meyer, Sendacz, Opice e Falcão Advogados. Advogados e consultores vão buscar alternativas de parcerias com a iniciativa privada para a gestão do serviço postal no Brasil. Isso pode significar uma privatização parcial ou total dos Correios. A escolha do consórcio é uma das primeiras etapas de uma privatização. A partir daí é feita a “modelagem” do processo e só depois o leilão. No caso dos Correios, a venda parcial ou total deve ocorrer no ano que vem. EMPRESAS INTERESSADAS – O ministro das Comunicações, Fábio Faria, declarou nesta quarta-feira (16) que existem cinco companhias interessadas na privatização dos Correios, citando quatro delas: o Magazine Luiza (MGLU3), a Amazon e as empresas de logística estrangeiras DHL e FedEx. O ministro afirmou que o Congresso Nacional deve decidir como ficaria o controle acionário e as obrigações da companhia que vier a adquirir as operações da estatal brasileira com o processo de privatização. “Tem empresas interessadas em ocupar esse espaço, e elas sabem que você recebe o bônus e o ônus também, mas é uma empresa saudável”, salientou Faria. O ministro ainda criticou a greve dos Correios, afirmando que, sendo um serviço “universal e essencial”, a companhia não poderia parar. “Se a empresa fosse privada, não tinha esse problema. Não é com greve que você consegue aumento”, pontuou.

Comentários