Palestras na região discutirão processo de cidadania italiana passo a passo

O passo-a-passo para o processo de obtenção de cidadania italiana será tema de palestras na região. Em Veranópolis o encontro será no dia 21 de julho, às 19h30min, no Auditório Arlindo Caser – SOAL. As conversas serão coordenadas por Nátali Lazzari, garibaldense que mora em Verona, na Itália. O ingresso é doação de biscoitos e produtos de higiene e limpeza, que serão doados para a Casa Lar São Francisco.
A ideia é abordar inicialmente as pesquisas genealógicas até a conclusão do processo na Itália. Nátali promete explicar como ocorre o pedido pelo Brasil, a realização da última etapa na Itália, onde o processo deve ser apresentado já em solo europeu e demais aspectos do processo. Dicas de como estudar e trabalhar na Europa, procurar bolsas de estudo e sites para encontrar trabalho, também estarão na pauta.
De acordo com Nátali, o cidadão italiano tem visto facilitado para muitos países e tem o direito de transitar livremente, por quanto tempo quiser, nos 28 países que compõem a União Europeia. A cidadania italiana, hoje, não restringe geração, ou seja, não importa se o descendente italiano tem parentesco distante do requerente. O público poderá ver e folhear os documentos necessários de um processo completo – inclusive passaporte e carteira de identidade italiana. Mais informações no e-mail natalicristinal@hotmail.com.
Ainda haverá encontros nas cidades de Vila Flores na terça-feira (19/07), e em Nova Prata na quarta-feira (20/07). Apoios: Prefeituras de Veranópolis e de Vila Flores, CIC Nova Prata, O Estafeta e Hotel Verona Parque Hotel.
A palestrante
Nátali Lazzari é garibaldense de nascimento e veronense por adoção. Tem cidadania italiana e mora em Verona, onde, em 2011, estudou na Università degli Studi di Verona. Amante incondicional do bel paese, do cinema, da música, do Recioto de Valpolicella e das dezenas de tons azuis do Mediterrâneo, é formada em História da Arte na UFRGS. Desde a graduação, trabalha com traduções e foi professora de italiano até 2015. Acredita que a melhor viagem é sempre a próxima e em seus giros já passou por 14 países. É “estudante” do dialeto vêneto e admira quem o fala espontaneamente.

Fonte: Veranópolis

Comentários

Deixe um comentário