Pelo menos quatro criminosos que participaram do ataque a carro-forte, na manhã desta terça-feira, hoje em Bento Gonçalves foram presos no cerco policial da Brigada Militar, Polícia Rodoviária e Polícia Civil. Com eles foram apreendidos grande quantidade de dinheiro, coletes balísticos, explosivos, uma pistola, duas armas calibre 12, e uma metralhadora .50.

Policiais da Serra seguem nas buscas de outros criminosos que também teriam participado da ação.

Segundo o delegado do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), João Paulo de Abreu, entre seis e sete criminosos teriam participado da ação.

A metralhadora é de uso do Exército e o mesmo tipo usado nos assaltos a carros-fortes ocorridos em Vacaria e Vila Cristina em Caxias no ano passado. Conforme o delegado, a munição é a mesma usada nos ataques anteriores, mas ainda não se sabe se são os mesmos criminosos.

Outro fato relacionado aos crimes de 2017 é que o carro-forte atacado nesta manhã é o mesmo que foi alvo em Vacaria. Ele havia sido reformado e voltou a ser utilizado.

Ainda segundo informações do delegado do Deic, o grupo estava em uma Tucson que ultrapassou o carro-forte na rodovia e o interceptou. O bando usou a metralhadora para romper a blindagem do veículo. Com isso, os seguranças tiveram de sair do carro-forte. Houve troca de tiros com os criminosos. Um dos bandidos teria sido atingido. Nenhum dos seguranças foi baleado.

- Há uma grande quantidade de estojos no local e miguelitos (artefatos de metal usados para furar os pneus de veículos). Uma grande superioridade de armamento da parte dos criminosos. Se verificou mais de 50 a 60 estojos de fuzis 556 e 762 e o emprego da .50 ? relatou o delegado.

Os criminosos usaram explosivos para acessar o compartimento onde estava o dinheiro. Depois, os bandidos fugiram em dois carros de comparsas ? um Corolla preto e um peugeot branco ?, que faziam parte da logística do roubo. Ele seguiram em direção a Monte Belo do Sul. Na estrada que leva ao município, os bandidos foram interceptados pela PRF, culminando com a prisão de quatro dos criminosos. A metralhadora foi apreendida.

Para o delegado do Deic, a prisão é um passo importante para esclarecer os outros crimes a carros-fortes.

Fonte: Pioneiro