Após dois anos mantendo um patamar estável, o número de vítimas fatais no trânsito volta a crescer na Serra. Contabilizadas as oito mortes em acidentes ocorridos neste fim de semana, 2017 contabiliza 133 casos (média de uma morte a cada dois dias) e já se equipara ao total registrado ao longo de todo o ano passado. Se a média se mantiver, o ano pode fechar com 170 mortes, número idêntico a 2014. Os acidentes ocorreram em Dois Lajeados, Bento Gonçalves, Picada Café e Bom Jesus. Homens e jovens são a maioria das vítimas.

O acidente mais grave, porém, ocorreu sábado, na ERS-129, entre Dois Lajeados e Guaporé. Em uma rodovia com pista dupla em um dos lados ? no sentido Guaporé/Dois Lajeados ?, e onde é proibido ultrapassar, dois carros colidiram frontalmente. O choque matou quatro pessoas. Duas eram crianças, com idades entre seis e 12 anos . As causas do acidente serão investigadas.

Colisões frontais e laterais formam 68% das causas de acidente na Serra, de acordo com os dados tabulados pelo Pioneiro desde o início deste ano na plataforma Vidas Perdidas no Trânsito.

? Embriaguez e excesso de velocidade são as causas da maioria do acidentes com morte. Sabemos também que entre os campos que devem ser analisados está o uso do celular. Campanhas de fiscalização foram intensificadas nas rodovias, e sentimos redução de acidentes com esta motivação. Mas também percebemos que quando a fiscalização diminui, os acidentes acabam retornando? avalia o novo titular da 5ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal, inspetor Marco Aurélio Baierle.

A ERS-122 é a rodovia com maior número de ocorrências até agora: 18 óbitos. Em seguida vem a BR-470, com 14, a RSC-453 (11) e a BR-116 (11). Pessoas jovens são as que mais tem perdido a vida no trânsito: 58% das vítimas não chegaram a completar 40 anos - estatística que confere com a já divulgada pela Organização Mundial da Saúde, que aponta que acidentes de trânsito são a causa mais comum de morte entre adolescentes, e também no caso dos homens.

Por ser a cidade mais populosa, Caxias do Sul é a que lidera o ranking, com 35 vítimas. Excesso de velocidade, ultrapassagens proibidas e alcoolemia estão entre as principais causas de morte na cidade, conforme avalia o gerente de Educação para o Trânsito em Caxias, Carlos Beraldo.

Vidas perdidas no trânsito

? Este é o ano das mortes de motociclistas e pedestres, os mais vulneráveis. Também observamos, nas abordagens, que os passageiros deixaram de usar o cinto de segurança. Uma das mortes poderia ter sido evitada caso uma senhora estivesse de cinto. O impacto é muito maior ? observa.

VIDAS PERDIDAS NO TRÂNSITO

2017 (até o dia 8): 133

2016: 131

2015: 130

2014: 170

2013: 209

2012: 183

:: Julho e janeiro, meses em que boa parte das famílias sai de férias, são os meses com maior número de ocorrências, cada um com 18 mortes.

:: São 106 homens e 27 mulheres.

:: Destes, 92 morreram por colisão, 23 por atropelamento, 16 por capotamento e um deles não há esclarecimento.

:: A ERS-122 é a rodovia com maior índice de ocorrências até agora: são 18 óbitos. Em seguida vem a BR-470 (14), a RSC-453 (11) e a BR-116 (11).

Fonte: Jornal Pioneiro