BOLSONARO PREGA “MEDIDAS RACIONAIS” AO COMBATE À PANDEMIA

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil não tem condições de aguentar um novo lockdown ao comentar o chegada da variante Ômicron. Ele falou em “medidas racionais” para combater o problema, mas se posicionou contra fechamentos. “Tudo pode acontecer, uma nova variante, um novo vírus. Mas o Brasil e o mundo não aguentam um novo lockdown, seria condenar todos à miséria, que leva à morte também. Temos que encarar a realidade sem se apavorar”, disse, em evento no Rio de Janeiro.

Bolsonaro disse que tratou do assunto com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que emitiu uma nota técnica, também nesta sexta, recomendando a suspensão de voos de seis países do continente africano, onde a variação surgiu: África do Sul, Botsuana, Eswatini (antiga Suazilândia), Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

Argentina

Bolsonaro disse, ainda, que discutiu com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a possibilidade de um período de isolamento para que viajantes da Argentina possam ingressar no Brasil. Segundo o chefe do Executivo, a medida valeria apenas para quem viesse ao país por meio de algum voo.

“Discutimos a Argentina: quem vier de carro da Argentina para cá entra sem problemas. Quem vier de avião faz quarentena de quatro dias. Então, vou tomar medidas racionais. Carnaval, por exemplo, eu não vou para o Carnaval. Mas não tenho comando do combate à pandemia, isso cabe a governadores e prefeitos”, disse Bolsonaro a jornalistas, em um compromisso no Rio de Janeiro.

Comentários