GOVERNO FEDERAL PROMOVE MEGA LEILÃO NACIONAL

ADVFN News | Governo faz semana de leilões com expectativa de retorno de R$  10 bi

Infra Week, rodada de leilões que o governo federal promove entre esta quarta-feira (7) e sexta (9) com 28 ativos, entre aeroportos, terminais portuários e uma ferrovia, que serão concedidos à iniciativa privada, é a forma mais viável de o País melhorar parte de sua infraestrutura no curto e médio prazos, segundo a opinião majoritária de economistas e analistas de mercado ouvidos pelo R7. A expectativa do governo é atrair R$ 10 bilhões e gerar 200 mil empregos com as obras, melhorando também os serviços oferecidos e a logística da economia brasileira. Há três terminais no Rio Grande do Sul que estão incluídos nesta rodada de negociação.  Serão leiloados 22 aeroportos operados atualmente pela Infraero, entre eles os de Curitiba, Goiânia e Manaus; cinco terminais portuários, sendo quatro no Porto de Itaqui (MA) e um em Pelotas (RS); e o primeiro trecho da Fiol (Ferrovia de Integração Oeste-Leste), entre Ilhéus e Caetité, na Bahia, que deverá se tornar um corredor logístico de exportação para o escoamento de minério de ferro, além de grãos. Aeroportos — Nesta quarta, acontecem os leilões de 22 aeroportos serão divididos em três blocos: Sul, Norte I e Central. O Bloco Sul é formado por nove terminais: Curitiba, Bacacheri, Foz do Iguaçu e Londrina (PR), Navegantes e Joinville (SC), e Pelotas, Uruguaiana e Bagé (RS). Sete compõem o Bloco Norte I: Manaus, Tabatinga e Tefé (AM), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), e Rio Branco e Cruzeiro do Sul (AC). Mais seis formam o Bloco Central: Goiânia (GO), Palmas (TO), São Luís e Imperatriz (MA), Teresina (PI) e Petrolina (PE). As concessões serão válidas por até 30 anos. No dia 8, será a vez do leilão da Fiol 1, o primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste. O prazo de concessão será de 35 anos. E, no dia 9, serão arrendados portos do Maranhão e Rio Grande do Sul.

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA APROVA O AUXÍLIO EMERGENCIAL GAÚCHO

Governo do Estado anuncia auxílio emergencial gaúcho com apoio – Em Pauta  Bagé

O governador Eduardo Leite projetou liberar os recursos do auxílio emergencial gaúcho nos próximos 30 a 45 dias. A manifestação foi feita em pronunciamento no qual agradeceu à Assembleia Legislativa por aprovar de maneira unânime o projeto de lei que cria o benefício, com o objetivo de mitigar os efeitos da crise da Covid-19. “A nossa missão é o mais rápido possível, num prazo de no máximo entre 30 e 45 dias, fazer chegar esse recurso para as pessoas que mais sofrem as consequências das restrições que acabam se impondo em função da situação do coronavírus”, avaliou Leite. São os setores de eventos, alojamento e alimentação, em que a essência da atividade é a aglomeração”, acrescentou o governador. Ele salientou que as dimensões do programa só foram possíveis e, ao mesmo tempo tem limitações, pelo ajustes e reformas efetuados nos últimos meses. “O governo do Rio Grande do Sul está fazendo esse enorme esforço que, graças a todos os ajustes que fizemos e a todas as reformas que ajudaram a equilibrar nossas contas, o Estado não apenas honra seus compromissos, como agora pode dar esse passo para colocar mais de R$ 100 milhões do seu orçamento para esse auxílio emergencial”, afirmou. O valor total foi ampliado em R$ 7 milhões, na comparação com a proposta original do Executivo, que era de R$ 100 milhões. O complemento será oriundo do orçamento da Assembleia. O pagamento ocorrerá da seguinte forma: serão duas parcelas de R$ 1 mil para empresas do Simples e de R$ 400 para microempreendedores individuais, desempregados e mulheres chefes de família. Além disso, o projeto também contempla o investimento de R$ 30 milhões para projetos de cultura, assistência social e esporte.

CORONAVAC TAMBÉM É EFICIENTE CONTRA A VARIANTE DE MANÁUS

Butantan confirma 46 milhões de doses da CoronaVac até abril | VEJA

Resultados preliminares de um estudo feito com 67.718 trabalhadores da saúde de Manaus mostram que a vacina contra a Covid-19 Coronavac tem 50% de eficácia na prevenção da doença após 14 dias da primeira dose. A pesquisa do grupo Vebra Covid-19 é a primeira a avaliar a efetividade do imunizante em um local onde a variante P.1 é predominante.  Mais detalhes sobre o estudo serão apresentados na tarde desta quarta-feira, 7. Os dados divulgados à imprensa são de uma análise interina e o artigo científico com os resultados deve ser publicado até o próximo sábado, dia 10.  Ainda não há informações sobre a efetividade da vacina após 14 dias da segunda dose. Os pesquisadores vão coletar esses dados durante as próximas semanas para fazer a análise final.  A eficácia de 50% se refere a casos sintomáticos da doença. Em nota, o grupo responsável pelo estudo disse que os resultados são encorajadores e apoiam o uso da vacina. Os pesquisadores afirmam que também vão analisar a efetividade da Coronavac e da vacina de Oxford/AstraZeneca em idosos nas cidades de Manaus e Campo Grande e no Estado de São Paulo.  O grupo Vebra Covid-19, que estuda a eficácia das vacinas contra a doença no Brasil, reúne pesquisadores de instituições nacionais e internacionais, além de servidores da Secretaria de Saúde do Amazonas, Secretaria de Saúde de São Paulo, Secretaria de Saúde de Manaus e Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.  Recentemente, um estudo de imunogenicidade feito no Chile com 190 pessoas mostrou que os vacinados com a Coronavac geram anticorpos necessários para combater o coronavírus, mas em baixa quantidade. Esses dados abriram a possibilidade de a vacina ser menos eficaz contra as novas variantes.

FIUCRUZ PASSOU A PRODUZIR 900 MIL DOSES DE VACINA POR DIA

Vacinas produzidas pela Fiocruz para a população - SUS - Brasil

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) passou a produzir 900 mil doses diárias de vacina contra a covid-19, de acordo com comunicado divulgado na terça-feira (6) pela instituição. O número é o triplo do que estava sendo fabricado no início de março. Até o dia 2 de maio, a Fiocruz prevê a entrega de 18,4 milhões de doses para distribuição pelo Ministério da Saúde aos Estados. O número, contudo, é inferior aos 30 milhões inicialmente previstos para o mês de abril — quando também era esperada uma produção de 1 milhão de doses por dia. O recente acréscimo na fabricação se deu pelo início da operação de uma segunda linha de produção no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos). Um novo acréscimo na produção é previsto com o início de um novo turno de trabalho, que fará com que a produção diária chegue a 1,2 milhão de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca. Não há data definida para que isso ocorra. As entregas ao Programa Nacional de Imunização, coordenado pelo Ministério da Saúde, são feitas após o processo de controle de qualidade, procedimento que dura cerca de 20 dias e que é necessário para garantir a qualidade da vacina. A Fiocruz diz que os rígidos protocolos podem alterar ocasionalmente as previsões semanais de entrega de doses. Na semana de 5 a 10 de abril, por exemplo, estava prevista a entrega de 3,2 milhões de doses, quantidade que foi reduzida para 2 milhões. As doses não entregues estão sob análise e deverão ser encaminhadas nas próximas semanas, esclareceu a fundação.

MINISTRO KASSIO NUNES MARQUES É O RELATOR DA AÇÃO DE VOLTA ÀS AULAS NO RS

Volta às aulas: Pesquisas revelam medo de pais e risco para familiares –  Sinergia SP | CUT

O ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), é o relator da ação movida pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE) que busca a retomada das aulas presenciais no Rio Grande do Sul. A chamada Arguição de Descumprimento de Preceitos Fundamentais pede a suspensão das decisões judiciais que impedem a retomada. Antes da Páscoa, Nunes Marques liberou a presença de fiéis em templos e igrejas, com limite de 25% da capacidade. Conforme a PGE, a medida tem o objetivo de reafirmar a essencialidade da educação e reconhecer a inconstitucionalidade dos atos que estão impedindo a realização de atividades presenciais de ensino. O governo do Estado mudou o regramento do distanciamento controlado, tornando a Educação Infantil e o 1º e 2º anos do Ensino Fundamental como atividades essenciais, permitindo, assim, a retomada mesmo em bandeira preta. Em 1° de março, a juíza Rada Maria Metzger Kepes Zaman, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, suspendeu a realização de aulas presenciais nas escolas públicas e privadas do Rio Grande do Sul. Posteriormente, a PGE e o Sindicato dos Estabelecimentos do Ensino Privado no Estado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS) entraram com pedido para derrubar a liminar. Porém, a mesma magistrada optou, em 30 de março, por manter suspensas as atividades presenciais no território gaúcho. 

SEU IMPOSTO DE RENDA PODE SER DESTINADO À ENTIDADES BENEFICENTESDE DE VERANÓPOLIS

Lançada em 2018, a campanha “Não deixe seu dinheiro ir embora” já proporcionou inúmeros recursos para projetos sociais do município. Neste ano a campanha da Prefeitura de Veranópolis, por meio das Secretaria Municipais de Finanças e de Desenvolvimento Social, Habitação e Longevidade, orienta os interessados que a possível fazer a destinação de verbas do imposto de renda para contribuir em ações focadas nas crianças, adolescentes e idosos da Terra da Longevidade. Ao contatar com seu contador manifeste seu desejo de destinar parte do imposto devido à uma instituição da nossa cidade. Você pode doar parte do valor para ajudar o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente ou o Conselho Municipal do Idoso, por meio dos Fundos Municipais. Para tal destinação não tem custo nenhum. Se você tem interesse, estes são os dados: Se optar para o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – CNPJ: 18.667.473/0001-02 – Banco do Brasil : 001 – Agência: 0604-1 – Conta Corrente: 29.370-9 e/ou se preferir destinar para o Fundo Municipal do Idoso – CNPJ: 18.784.708/0001-46 – Banrisul: 041 – Agência: 0450 – Conta Corrente: 04.068899.0-8.

Comentários