NA 41ª RODADA DO DISTANCAMENTO CONTROLADO 16 REGIÕES ESTÃO NO VERMELHO E 5 NO LARANJA

Mapa preliminar semana 41 16 a 22 fev

O governo do Estado recebeu, até as 6h30 deste domingo (14/2), três pedidos de reconsideração ao 41º mapa preliminar do Distanciamento Controlado. Todas as solicitações foram encaminhadas por associações de regiões classificadas em bandeira vermelha, que pedem mudança para laranja. O mapa preliminar desta rodada, divulgado na sexta-feira (12/2), traz 16 regiões em bandeira vermelha e apenas cinco em laranja – Bagé, Caxias do Sul, Ijuí, Pelotas e Santa Rosa. Esse resultado reflete o alto risco para esgotamento da capacidade hospitalar e a velocidade de propagação do vírus no Estado. Neste Carnaval, a população deve seguir respeitando os protocolos, principalmente quanto à higienização constante das mãos, evitar aglomerações e o uso obrigatório de máscara em todas as bandeiras. Importante lembrar que as festas de Carnaval estão proibidas, uma vez que não atendem aos protocolos mínimos de segurança sanitários. Os pedidos de reconsideração serão analisados pelo Gabinete de Crise. O mapa definitivo será divulgado no portal de notícias do governo do Estado às 16h30 de segunda-feira (15/2). A vigência das novas bandeiras vai de 16 a 22 de fevereiro. Caso a classificação prévia seja mantida, as 16 regiões em bandeira vermelha que aderiram ao sistema de cogestão regional podem adotar os protocolos próprios compatíveis até o nível de restrição da bandeira laranja. O Rio Grande do Sul tem 19 das 21 regiões em cogestão – Guaíba e Santa Maria são as exceções e devem seguir os protocolos de bandeira vermelha estabelecidos pelo Estado. A região de Uruguaiana aderiu à cogestão nesta semana. As cinco regiões classificadas em laranja podem utilizar protocolos de bandeira amarela, se estiverem previstos e atualizados nos seus planos regionais. Veja a classificação prévia da 41ª rodada em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

RS TEM PELO MENOS 19 VARIÁVEIS DE COVID 19

Resultado de imagem para COVID 19

Ao menos 19 linhagens diferentes da SARS-CoV-2 já foram identificadas circulando no Rio Grande do Sul, enquanto o Estado já registra mais de 584 mil casos e 11.355 mortos pela Covid-19. De acordo com o segundo boletim genômico, elaborado pela Vigilância do Estado, e divulgado nessa sexta-feira, as variantes foram registradas a partir de 318 amostras coletadas em indivíduos residentes de 94 dos 497 municípios gaúchos, à exceção de 19 exames sem registro de residência. Os exames foram coletados entre 9 de março de 2020 e 02 de fevereiro de 2021, sendo 23 destas amostras de coletas deste ano. No primeiro boletim deste gênero divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), no início deste mês, foram identificadas 18 linhagens em 53 municípios diferentes. A atualização do boletim ocorreu no mesmo dia em que o Estado confirmou a morte do primeiro paciente gaúcho infectado que estava infectado pela variante P1 – surgida no Amazonas e considerada de maior transmissibilidade. A vítima era residente de Gramado e tinha 88 anos.  Até então, a linhagem B.1.1.33 é a que mais prevalece no território gaúcho, seguida de B.1.1.28 e P2. No entanto, os dados estaduais mostram a prevalência desde novembro da variante P2. Foi a B.1.1.28 que, após mutações, deu origem à variante P1, encontrada no Amazonas, e à P2, descrita pela primeira vez no Rio de Janeiro. Ambas são consideradas “variantes de preocupação” e apresentam modificações na proteína spike, estrutura do vírus que se conecta às células humanas. No caso da P1, há três mutações relacionadas à proteína (K417N, E484K e N501Y), e, na P2, uma mutação (E484K). A maior variedade de linhagens por mês de coleta foi registrado em novembro, quando a SES identificou oito variantes em amostras coletadas, com ampla predominância de B.1.1.28 e P2. Em fevereiro, a prevalência permaneceu, mas reduziu para quatro o número de linhagens em exames realizados naquele mês. BRASIL – Pela primeira vez desde o início da pandemia de Covid-19, a média móvel diária de mortes pela doença ficou acima de 1,1 mil no Brasil. Dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa mostram uma média de 1.105 vítimas neste domingo (14), o que significa que nos últimos sete dias morreram mais de 7,7 mil pessoas no País pelo novo coronavírus. O total de mortes pela doença chegou a 239.294 desde o começo da pandemia. Nas últimas 24 horas, foram registrados 647 óbitos e 22,4 mil testes positivos. O número total de casos chegou a 9.833.695, segundo dados repassados ao consórcio pelas secretarias estaduais de saúde. O consórcio é formado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL. Em números absolutos, os maiores registros de mortes nas últimas 24 horas são de Minas Gerais (119 vítimas) e do Rio de Janeiro (104). Foi em Minas também o número mais alto de novos diagnósticos confirmados (3.184), seguido pela Bahia (2.584) e São Paulo (2.187).

Imagem

PRESIDENTE BOLSONARO EM CONVERSA COM BENJAMIN NETANYAHU ESPERA ANVISA APROVE SPRAY NASAL PARA COMBATE AO COVID 19

O presidente Jair Bolsonaro usou seu Twitter na manhã desta segunda-feira (15) para fazer propaganda de um remédio desenvolvido por Israel contra a covid-19. De acordo com o post, o spray nasal EXO-CD24, desenvolvido pelo Centro Médico Ichilov, de Israel, tem eficácia de 100% em casos graves. O presidente, defensor do tratamento precoce de covid-19 com o uso da cloroquina, e que também tem dito que não basta apostar só em vacinas, afirmou que o laboratório de Israel entrará com pedido para uso emergencial do spray na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O que faz o spray?

O Centro Médico Ichilov de Tel Aviv anunciou que o medicamento experimental, originalmente usado para o tratamento de câncer no ovário, pode ajudar na recuperação de pacientes com coronavírus. A instituição explicou que a substância EXO-CD24 foi administrada a 30 pacientes cujas condições eram moderadas ou piores, e todos os 30 se recuperaram – 29 deles em três a cinco dias. “O medicamento combate a tempestade de citocinas, que se acredita ser responsável por muitas das mortes associadas à doença. Ele usa exossomos – pequenos sacos transportadores que levam materiais entre as células – para entregar uma proteína chamada CD24 aos pulmões, que o grupo de estudo está pesquisando há décadas. Esta proteína ajuda a acalmar o sistema imunológico e conter a tempestade”, diz a publicação. De acordo com o texto do centro médico, o medicamento é inalado uma vez por dia durante alguns minutos, durante cinco dias sendo direcionado diretamente para os pulmões.

LITORAL NORTE VOLTA A TER AGLOMERAÇÃO E AÇÃO DA BRIGADA MILITAR

Resultado de imagem para pessoas av. beira mar capão da canoa rs

A beira da praia de Capão da Canoa, no Litoral Norte, voltou a registrar aglomeração na madrugada deste domingo (14). Centenas de pessoas se concentravam na região do letreiro da cidade, na área central, por volta da 1h. Jovens consumiam bebida alcoólica ao som de músicas no local. Esse é o terceiro dia consecutivo com registro de aglomeração em Capão da Canoa. A Brigada Militar realizou atividades preventivas para evitar aglomerações na área central de Capão da Canoa, no Litoral Norte. Na noite deste domingo (14), os agentes circulavam pelo local e realizavam bloqueios de trânsito na Avenida Beira-Mar.

Resultado de imagem para mega sena acumulada

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.344 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (13) em São Paulo. Com isso, o prêmio para o próximo sorteio, que será realizado na quarta (17), será de R$ 29 milhões. Veja as dezenas: 11 – 17 – 25 – 38 – 52 – 57 A Quina teve 59 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 42.795,90. A Quadra teve 4.548 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 793,11. As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito. A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Comentários