Se não entregar exame de coronavírus, Bolsonaro está sujeito a impeachment,  diz Barroso - Brasil 247

Após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticar o processo eleitoral brasileiro neste domingo, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso,  afirmou que “objetivamente não existe hoje no Brasil a possibilidade de voto impresso”. Mais cedo, o presidente da República afirmou, no Rio de Janeiro, que espera um sistema seguro para as eleições de 2022, alegando insegurança nas urnas eletrônicas. “O voto impresso é uma necessidade, as reclamações são demais. Eu estou vendo trabalho de hacker aqui e em qualquer lugar. A apuração tem que ser pública. Quem não quer entender isso, eu não sei o que pensa da democracia”, disse Bolsonaro. O presidente do TSE disse que Bolsonaro “merece todo o respeito institucional e tem o direito de manifestar livremente a sua opinião”. “A verdade, porém, é que objetivamente o Supremo Tribunal Federal já entendeu pela inconstitucionalidade do voto impresso e entendeu, não apenas evidentemente pelo custo de mais de R$ 2,5 bilhões ao longo do tempo para sua implantação, mas porque representaria, ao ver do Supremo, um risco real para o sigilo do voto”, acrescentou.

NAS ELEIÇÕES DE 2020 A MENOR TAXA DE COMPARECIMENTO DO SÉCULO

Conheça a preparação da urna eletrônica e o caminho do voto | VEJA

Quase 30% dos eleitores brasileiros abriram mão de escolher um candidato no segundo turno do pleito municipal. Cerca de 29,5% dos mais de 38,2 milhões de eleitores aptos a votar no segundo turno das eleições municipais deste ano não compareceram às urnas neste domingo (29). Trata-se da maior taxa de abstenção das eleições municipais pelo menos desde 2000, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O percentual, 27,5% maior do que do que o apresentado no primeiro turno (23,14%) e 36,9% superior ao do segundo turno de 2016 (21,5%), mantem a trajetória de crescimento da abstenção nos pleitos e corresponde à maior taxa deste século. No primeiro turno, quando pouco mais de 23% da população deixou de votar, o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, chegou a comemorar o número devido à pandemia do novo coronavírus. “Queria cumprimentar o eleitorado brasileiro, que compareceu em massa, apesar das circunstâncias. Nós tivemos a preocupação de dar máxima segurança à saúde de todos”, disse o ministro.

AÇÃO DA PRF EM LAGOA VERMELHA APREENDEU 152 QUILOS DE MACONHA

PRF em mais uma ação de combate ao COVID-19 - O Documento

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu cerca de 152 quilos de maconha na madrugada desta segunda-feira em Lagoa Vermelha. O flagrante ocorreu na BR 470 e teve apoio do serviço de inteligência da instituição. O efetivo da PRF soube que trafegava um comboio com três veículos que estaria sendo utilizado por uma organização criminosa paranaense. Uma barreira foi montada então na rodovia para surpreender os criminosos e realizar as prisões. Um Ford Fiesta foi parado imediatamente, mas um Ford Ka avançou sobre os policiais rodoviários federais, mas foi interceptado em seguida. Já um Volkswagen Polo conseguiu retornar na pista, sendo alcançado e abordado após alguns quilômetros de perseguição. No porta-malas do Polo, o efetivo da PRF encontrou então um carregamento de maconha, totalizando 152 quilos. Cinco criminosos foram presos por tráfico de drogas. Tratam-se de três homens, de 33, 36 e 55 anos, e duas mulheres, de 24 e 36 anos, todos paranaenses.

SEBASTIÃO DE MELO É ELEITO NO 2 TURNO

Sebastião Melo, do MDB, é eleito prefeito de Porto Alegre | Poliarquia >

Um velho conhecido estará de volta ao Paço Municipal a partir de 1º de janeiro. Sebastião de Araújo Melo, de 58 anos, foi eleito neste domingo o futuro prefeito de Porto Alegre. O emedebista, ex-vice-prefeito e derrotado nas eleições de 2016, ele agora saiu-se vencedor no segundo turno contra Manuela D’Ávila (PCdoB) e governará a capital gaúcha pelos próximos quatro anos.  A vitória foi confirmada pouco antes das 19h, quando, com 97,7% das urnas apuradas, Melo já tinha 54,58% dos votos válidos contra 45,42% da adversária, consolidando uma vantagem mantida ao longo do segundo turno. No primeiro turno, Melo já tinha virado, revertendo o prognóstico das pesquisas, e ficou em primeiro lugar, com 31% dos votos, enquanto Manuela teve 29%. 

CAXIAS DO SUL ELEGE ADILÓ DIDOMENICO PREFEITO

Adiló Didomenico (PSDB) é eleito prefeito de Caxias de Sul (RS) - Notícias  - R7 Eleições 2020

Adiló Didomenico (PSDB), 68 anos, é o prefeito eleito de Caxias do Sul. Paula Ioris, também do PSDB, será a vice-prefeita. A chapa fez 59,57% dos votos válidos, atingindo a marca de 135.970. Significa que, a cada 5 eleitores que escolheram um dos dois candidatos, 3 votaram em Adiló e 2 em Pepe Vargas (PT), que fez 40,43% dos válidos, aumentando sua votação em relação primeiro turno para 92.707. É a primeira vez que o PSDB governará Caxias. A confirmação matemática da vitória de Adiló deu-se às 18h12min, apenas 72 minutos depois de fecharem as urnas. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recuperou-se da má performance do primeiro turno e entregou os resultados com a agilidade costumeira. Os 100% dos votos apurados foram totalizados às 18h54min.

Comentários