REGIÃO DE CAXIAS DO SUL VOLTA AO LARANJA

O mapa definitivo da 28ª rodada do Distanciamento Controlado terá, a partir desta terça-feira (17/11), sete regiões em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto). Isso porque o Gabinete de Crise deferiu, nesta segunda-feira (16/11), quatro pedidos de reconsideração enviados por municípios e associações regionais. Assim, o Rio Grande do Sul fica com sete regiões em bandeira vermelha e 14 em bandeira laranja (risco epidemiológico médio). As bandeiras da 28ª semana são válidas até as 23h59 de segunda-feira (23/11). Os pedidos de reconsideração das regiões Covid de Porto Alegre, Passo Fundo, Guaíba e Caxias do Sul foram aceitos pelo Gabinete de Crise. Na análise, a equipe técnica rejeitou os pedidos das regiões de Novo Hamburgo, Santo Ângelo e Santa Rosa, que permanecem na bandeira vermelha, ao lado de Capão da Canoa, Canoas, Cruz Alta e Ijuí, que não entraram com recursos. Com essa definição, 25,8% da população gaúcha (2.928.206 pessoas) se encontra em regiões classificadas como de risco epidemiológico alto. No mapa preliminar, era 66,5% – 7.528.700 habitantes do Rio Grande do Sul. O recurso da região de Caxias do Sul foi aceito porque, apesar do significativo desta semana, os indicadores são similares aos de outras semanas. A elevação foi mais forte nesta semana, porém ainda bastante abaixo de níveis históricos dos momentos em que a região esteve em bandeira vermelha por longo período, com posterior controle e retomada por maior período em bandeiras de menor risco. Hoje, a ocupação de leitos de UTI está em 66,8%.

GOVERNO ALTERA REGRAS DE RETORNO ÀS AULAS

Notícia - VOLTA ÀS AULAS - Prefeitura Municipal de Rodeio Bonito

O Gabinete de Crise da pandemia de Covid no Rio Grande do Sul alterou as regras a respeito da abertura de escolas e da manutenção das atividades presenciais nas redes de ensino. A partir de agora, uma semana em bandeira vermelha não é suficiente para que a escola já aberta interrompa as atividades. É preciso que a região ingresse na segunda semana consecutiva em bandeira vermelha para que as escolas não possam abrir em uma região ou, se já abertas, tenham de fechar. Quando a região retomar a classificação de laranja e amarela, as aulas presenciais podem ser retomadas imediatamente naquela semana (até então, era preciso aguardar mais uma rodada). O Estado também esclarece que, a partir desta terça, as regiões de Cruz Alta, Ijuí e Santo Ângelo seguem impedidas de manter atividades presenciais nas escolas, uma vez que foram novamente classificadas como bandeira vermelha. Devido às novas regras, as de Novo Hamburgo, Santa Rosa, Capão da Canoa e Canoas, também classificadas em bandeira vermelha, ainda podem manter as escolas funcionando. Caso a classificação em bandeira vermelha se repita, as aulas devem, então, ser interrompidas a partir da semana que vem. Fica mantida, ainda, a regra de que eventos de grande porte só podem ocorrer em municípios que autorizaram e que estejam no processo de retomada escolar.

DESCOBERTO VIRUS MORTAL E TRANSMISSÍVEL EM HUMANOS

Um vírus encontrado na Bolívia que causa febre hemorrágica com sintomas semelhantes aos do ebola pode ser transmitido entre humanos, afirmam pesquisadores do CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) dos Estados Unidos, em uma publicação divulgada nesta segunda-feira. No documento, que faz parte do relatório anual da ASTMH (Sociedade Americana de Medicina Tropical e Higiene), os cientistas detalham evidências de que o mammarenavírus de Chapare se espalhou entre profissionais de saúde no país em 2019. “Nosso trabalho confirmou que um jovem residente médico, um médico de ambulância e um gastroenterologista contraíram o vírus após encontros com pacientes infectados — e dois desses profissionais de saúde morreram mais tarde”, disse Caitlin Cossaboom, epidemiologista da Divisão de Patógenos e Patologia de Alta Consequência do CDC. O grupo diz acreditar que fluidos corporais podem carregar o vírus. Ao menos cinco casos da febre hemorrágica causada pelo vírus de Chapare foram registrados no ano passado perto da capital La Paz. Até então, o único registro desse vírus datava de 2004, justamente na província que lhe deu o nome, a cerca de 600 km a leste de La Paz. O surto do ano passado deixou autoridades sanitárias locais e regionais em alerta. Pesquisadores do CDC e da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde) imediatamente viajaram à Bolívia atrás de mais informações sobre o vírus mortal. Eles constataram que o Chapare é da família dos arenavírus, que incluem outros patógenos perigosos, como o vírus Lassa, que mata milhares de pessoas todos os anos na África Ocidental, e o vírus Machupo, que também já atingiu a Bolívia e provocou mortes. No Brasil, um caso de morte por arenavírus (chamado de Sabiá) foi identificado no ano passado.  Os sintomas da infecção pelo vírus estudado são semelhantes aos do vírus ebola: febre, dores abdominais, vômitos, sangramento nas gengivas, erupção cutânea e dor atrás dos olhos. Como não há tratamento específico, os pacientes recebem suporte, na esperança de que o corpo consiga se defender do vírus. Origem – Os pesquisadores tentam agora descobrir qual é o hospedeiro primário do vírus. Algumas provas genéticas compararam o RNA encontrado em humanos com o de roedores, mostrando grande semelhança com a espécie Oligoryzomys microtis. Esses ratos analisados foram encontrados perto da casa do primeiro paciente do surto de 2019, um trabalhador agrícola que também morreu. Entretanto, não houve como comprovar, até o momento, que os roedores eram capazes de transmitir o vírus.

COVER DE ELVIS PRESLEY É ELEITO EM FARROUPILHA

Diogo Sallaberry / Agencia RBS
Fabiano Feltrin
Ari Junior / Divulgação

Eleito prefeito de Farroupilha no último domingo (15), Fabiano Feltrin soma atribuições no currículo: é empresário, administrador de empresas, ex-vice-prefeito do município e, claro, responsável pelo cover do cantor Elvis Presley. Aos 51 anos, o candidato do PP se elegeu com 49,76% dos votos no município da serra gaúcha. Casado e pai de duas meninas, de sete e 25 anos, Feltrin atribuiu a vitória, em parte, ao cantor: — O cover é algo que faço há 15 anos, que continuo fazendo e que faz parte da minha formação como pessoa. Muito da eleiçao e da minha característica de acolhimento está relacionada a esse trabalho. Eu dedico ao Elvis minha eleição — afirma. Feltrin é também um dos sócios responsáveis pelo primeiro Hard Rock Café do Estado, inaugurado em Gramado em 2018 — no evento de abertura, o empresário realizou uma de suas apresentações como Elvis. Ex-vice-prefeito de Farroupilha entre 2009 a 2012, Feltrin afirma que decidiu voltar à política por notar que podia contribuir com a gestão do município. Como empresário, o prefeito eleito atua no ramo imobiliário e também é sócio da franquia da rede de fast-food Bob’s em algumas cidades do Interior. — Volto porque senti que o município precisava de um administrador. Tenho um trabalho reconhecido nessa área. Quero ajudar essa cidade que me deu tudo o que tenho — diz.

TRE RECEBEU QUASE 9 MIL DENÚNCIAS DE PROPAGANDA IRREGULAR

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu 8.838 denúncias de propaganda eleitoral irregular no Rio Grande do Sul até o último domingo (15), data do primeiro turno das eleições municipais. Os registros foram enviados por meio do aplicativo Pardal.  Em todo o Brasil, o balanço de ocorrências ficou em 103.127. O Rio Grande do Sul foi o terceiro Estado que mais contabilizou denúncias, atrás apenas de São Paulo (22.738) e Minas Gerais (10.119). Viamão foi o município com o maior número de casos, foram 749. Em segundo lugar, ficou Novo Hamburgo (com 716), seguido de Canoas (com 642), Porto Alegre (519) e Pelotas (500). No total, 293 municípios gaúchos tiveram pelo menos um registro. Com o aplicativo, desenvolvido pelo TSE, os eleitores podem colaborar com a fiscalização, por meio do envio de fotos e vídeos de propagandas irregulares. No domingo, estavam proibidos, por exemplo, carreatas, comícios, derramamento de santinhos, entre outras determinações. Em 2018, o número de denúncias registradas na ferramenta  para o Estado foi de 2.333, o que representa 26% do registrado neste ano. 

Comentários