MAPA PROVISÓRIO APONTA 11 REGIÕES EM VERMELHO

Indicadores da pandemia voltaram à preocupar no Estado, com maior parte das regiões em alto risco

O mapa preliminar da 28ª semana do distanciamento controlado, divulgado nesta sexta-feira (13), tem 11 regiões do Rio Grande do Sul com classificação em bandeira vermelha. Por conta do aumento de internações em leitos de UTIs de pacientes com Covid-19, Porto Alegre, Guaíba, Canoas, Novo Hamburgo, Caxias do Sul, Capão da Canoa, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa e Passo Fundo passam a ser consideradas regiões com alto risco epidemiológico para o novo coronavírus. Três áreas da macrorregião Missioneira (Santo Ângelo, Cruz Alta e Ijuí) já estavam em bandeira vermelha na 27ª rodada. As regiões de Bagé e Erechim, que estavam em amarela, agora se somam às outras oito áreas do Estado em classificação de bandeira laranja. Na quinta-feira (12), o número de internados em leitos clínicos chegou a 914 pacientes, aumento de 22% na comparação com a semana anterior. Houve elevação de 14% de infectados por coronavírus em UTI, o que provocou queda de 11% na disponibilidade de leitos para tratamento intensivo em toda a rede. O cenário impactou 21 regiões, uma vez que o indicador que mede a relação entre leitos de UTI livres e ocupados por Covid-19 no Estado recebeu bandeira vermelha. As macrorregiões Metropolitana, Missioneira e Serra foram classificadas na bandeira preta (risco altíssimo) no mesmo critério que mede a capacidade de atendimento dos casos que necessitam de tratamento intensivo. O único indicador que não apresentou elevação foi o de óbitos, com redução de 22%. As maiores variações foram em internados em leitos clínicos confirmados com Covid-19 (aumento de 22%) e registros de hospitalização (crescimento de 17%).

RIO GRANDE DO SUL ULTRAPASSA SEIS MIL MORTES

O Rio Grande do Sul registrou, nesta sexta-feira, 43 novos óbitos por Covid-19 e elevou para 6.168 o número total de mortes relacionadas à doença desde o início da pandemia. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), entre os óbitos hoje divulgados, 13 ocorram entre outubro e a primeira semana de novembro, publicados agora após encerramento das notificações. Os demais são de datas entre 8 e 12 de novembro. A pasta ainda registrou 3.266 novos infectados pelo coronavírus nas últimas 24 horas e acumula 274.411 casos confirmados espalhados pelos 497 municípios gaúchos. Destes, 254.703 (93% dos casos) já se recuperaram da doença e 13.505 (5%) estão em acompanhamento. O painel, atualizado pela SES, ainda mostra que a taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva (UTI) no Estado é de 72,9% nesta sexta-feira. 

AUMENTA O NÚMERO DE COMO JUSTIFICAR O VOTO ON LINE

O Rio Grande do Sul é o estado de onde vem a maioria das buscas sobre como justificar on-line a ausência nas eleições municipais. De acordo com relatório do Google Trends, ferramenta que mostra os principais assuntos do momento ou de determinados períodos, o termo “como justificar o voto pela internet” subiu 1.640% e foi a terceira pergunta mais buscada entre quinta e sexta-feira em todo o Brasil. As pesquisas apenas por “como justificar voto” também tiveram grande interesse vindo do território gaúcho, ficando atrás somente de Santa Catarina. A justificativa poderá ser feita pelo e-Título, aplicativo para smartphones. Por meio dele será possível, entre outras funcionalidades, que os cidadãos justifiquem que não votaram até 60 dias depois do primeiro ou do segundo, marcados, respectivamente, para os dias 15 e 29 de novembro.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL FOI INVADIDO

TSE não funciona ou está fora do ar? Status atual. | Downdetector

O Tribunal Superior Eleitoral informou que foi registrada uma queda nos sistemas da Justiça Eleitoral na tarde de quinta feira, 12, e apenas divulgada agora, em razão de sobrecarga interna, sendo que ficaram indisponíveis os serviços de consultas a processos eletrônicos e de divulgação de candidaturas, além dos sites da Corte e dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). A corte destacou que o problema técnico não afeta nenhum processo relacionado à votação deste domingo, 15, como preparação de urnas, totalização de votos e transmissão de resultados. Em nota, a instância máxima da Justiça eleitoral frisou ainda que a instabilidade não tem relação com interferência externa, como o ataque hacker que o Superior Tribunal de Justiça sofreu na última semana.

CONGRESSO DOS EUA TERÁ NÚMERO RECORDE DE MULHERES

Deputadas eleitas para o Congresso americano Debra Haaland, Sharice Davids, Ilhan Omar e Rashida Tlaib (da esquerda para a direita) - Arte UOL, com imagens de Mark Ralston/AFP; Whitney Curtis/AFP; Stephen Maturen/ AFP; e Rebecca Cook/Reuters

As mulheres conseguiram quebrar dois recordes na eleição norte-americana deste ano. Nunca tantas congressistas foram eleitas para um legislatura e nunca tantas foram eleitas pelo Partido Republicano, de caráter mais conservador. A partir de janeiro, 141 mulheres ocuparão cadeiras no Congresso – mais do que o recorde de 127 estabelecido em 2018, segundo dados do Center for American Women and Politics, da Rutgers University. Serão 116 deputadas das 435 vagas, mais do que as 102 eleitas dois anos atrás, nas eleições de meio de mandato. No Senado, serão 25 mulheres entre as 100 cadeiras – esse número deve cair quando Kamala Harris, senadora da Califórnia, assumir a vice-presidência, mas pode subir se a republicana Kelly Loeffler vencer o segundo turno no Estado da Geórgia. O número de deputadas republicanas dobrou, subindo de 13 para pelo menos 26. As democratas eram 80, agora são 89. A proporção de mulheres no Congresso pode aumentar ainda mais nos próximos dias, já que a apuração de algumas disputas locais ainda não terminou. Este ano, o aumento da participação das mulheres na política americana está simbolizado pela eleição de Kamala, a primeira mulher e a primeira negra a ocupar um cargo tão alto no Executivo dos EUA.

Comentários