“Digam a meus filhos que amo eles”: últimas palavras pronunciadas pela brasileira Simone Barreto Silva

“Digam a meus filhos que amo eles”: estas foram as últimas palavras pronunciadas pela brasileira Simone Barreto Silva, de 44 anos, antes de falecer na quinta-feira no ataque com uma faca cometido em uma igreja de Nice. Simone, mãe de três filhos e nascida em Salvador (Bahia), é uma das três vítimas fatais de um tunisiano de 21 anos que atacou na quarta-feira os fiéis que rezavam na basílica Notre-Dame de Nice, Sudeste da França. “Ela estava lá rezando, entrou esse cara que detesta cristãos. A gente fala em ‘cristofobia’. Ele esfaqueou essa senhora lá dentro. A gente lamenta a morte das três pessoas”, declarou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, em sua transmissão semanal pelo Facebook. A vítima ficou gravemente ferida no ataque, mas conseguiu fugir para um restaurante ao lado da igreja, informaram fontes policiais. “Ela atravessou a rua, coberta de sangue (…). Ainda conseguia falar, afirmava que havia alguém dentro (da igreja)”, afirmou Brahim Jelloule, dono do estabelecimento, à rádio France Info. O irmão de Jelloule e um funcionário do restaurante tentaram entrar na igreja, mas viram o agressor, armado com uma faca. De acordo com Brahim Jelloule, Simone faleceu uma hora e meia depois do ataque. “Digam a meus filhos que eu amo eles”, teria conseguido dizer pouco antes de morrer, segundo depoimentos de testemunhas divulgados pelo canal BFMTV. De acordo com a emissora, Simone Barreto Silva trabalhava como cuidadora de idosos, mas sua paixão era a cozinha. Ela sonhava com abrir um restaurante de comida brasileira nesta cidade da Costa Azul francesa, onde morava há muitos anos. O governo brasileiro publicou um comunicado oficial, no qual expressou “seu firme repúdio a toda e qualquer forma de terrorismo, independentemente de sua motivação”, e manifestou “em especial sua solidariedade aos cristãos e pessoas de outras confissões que sofrem perseguição e violência em razão de sua crença”. Também informou que, por meio do consulado geral em Paris, “proporciona assistência consular à família da brasileira vítima do atentado terrorista”. As outras duas vítimas foram assassinadas dentro da basílica: uma mulher de 60 anos, degolada pelo agressor; e o sacristão da basílica, um laico de 55 anos, casado e pai de duas filhas. A vítima ficou gravemente ferida no ataque, mas conseguiu fugir para um restaurante ao lado da igreja, informaram fontes policiais. “Ela atravessou a rua, coberta de sangue (…). Ainda conseguia falar, afirmava que havia alguém dentro (da igreja)”, afirmou Brahim Jelloule, dono do estabelecimento, à rádio France Info. O irmão de Jelloule e um funcionário do restaurante tentaram entrar na igreja, mas viram o agressor, armado com uma faca. De acordo com Brahim Jelloule, Simone faleceu uma hora e meia depois do ataque. “Digam a meus filhos que eu amo eles”, teria conseguido dizer pouco antes de morrer, segundo depoimentos de testemunhas divulgados pelo canal BFMTV. De acordo com a emissora, Simone Barreto Silva trabalhava como cuidadora de idosos, mas sua paixão era a cozinha. Ela sonhava com abrir um restaurante de comida brasileira nesta cidade da Costa Azul francesa, onde morava há muitos anos. O governo brasileiro publicou um comunicado oficial, no qual expressou “seu firme repúdio a toda e qualquer forma de terrorismo, independentemente de sua motivação”, e manifestou “em especial sua solidariedade aos cristãos e pessoas de outras confissões que sofrem perseguição e violência em razão de sua crença”. Também informou que, por meio do consulado geral em Paris, “proporciona assistência consular à família da brasileira vítima do atentado terrorista”. As outras duas vítimas foram assassinadas dentro da basílica: uma mulher de 60 anos, degolada pelo agressor; e o sacristão da basílica, um laico de 55 anos, casado e pai de duas filhas.

NOVO CALENDÁRIO

Começa nesta sexta-feira o pagamento do auxílio emergencial por meio de depósito em conta digital para o ciclo 4 do calendário. Esse grupo inclui trabalhadores informais cadastrados pelo aplicativo da Caixa e inscritos no CadÚnico, que vão receber da 1ª a 5ª parcelas de R$ 600, além da 1ª e 2ª extras de R$ 300, dependendo da data de entrada no programa.  Serão beneficiados hoje com depósito em conta digital 3,6 milhões nascidos em janeiro. Desses, 2,9 milhões recebem o auxílio extensão de R$ 300. Quem começou no programa em abril ganha a segunda parcela extra e quem começou em maio, a primeira. Outros 700 mil vão receber da 1ª à 5ª parcela de R$ 600. Foram incluídos aí uma parte dos 95 mil aprovados após reavaliação cadastral em outubro e liberados para o benefício na quinta-feira. O saque será liberado em 7 de novembro.  Nesta sexta-feira também encerra o pagamento da segunda parcela extra de R$ 300 para os participantes do Bolsa Família. Vão receber 1,6 milhão de beneficiários com número do NIS final 0. Esse grupo acompanha o calendário do programa, sempre nos últimos dez dias úteis do mês.   Todos os beneficiários considerados elegíveis e que cumprem os requisitos vão receber cinco parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial normal. Mas nem todos receberão as quatro parcelas extras de R$ 300. Isso porque a MP que determinou o auxílio extensão prevê pagamento proporcionalmente à data de entrada no programa. Por exemplo, quem começou em abril recebe as quatro. Quem começou em maio recebe três, em junho, duas, e em julho, uma. Além disso, pelas novas regras, a declaração do Imposto de Renda 2020 será critério de exclusão para quem teve rendimentos superiores a R$ 28.559,70 em 2019 ou bens e direitos de valor superior a R$ 300 mil reais em 31 de dezembro de 2019. Quem mora no exterior ou presos em regime fechado também foram excluídos do pagamento. As pessoas que deixaram de receber o auxílio extra, mas que ainda preenchem os requisitos para ter direito ao benefício, podem entrar com o pedido de contestação até segunda-feira, dia 2 de novembro. A solicitação deve ser feita por meio do site da Dataprev

Calendário:

Ciclo 3: quem recebeu a primeira parcela em abril e passa a ganhar a extra de R$ 300; também inclui aqueles que estão recebendo as demais parcelas de R$ 600.
Ciclo 4: aqueles que receberam a primeira em maio e passam a ganhar a extra.
Ciclo 5: beneficiários que receberam a primeira parcela em junho.
Ciclo 6: receberam a primeira parcela do benefício em julho.

A Receita Federal paga nesta nesta sexta-feira a restituição do IR

(Imposto de Renda) para 273.545. O dinheiro cairá na conta indicada na declaração do IR. O lote totaliza R$ 560 milhões. A maior parte desse valor (R$ 211.773.065,86) será para o pagamento de contribuintes com prioridade legal: 5.110 idosos acima de 80 anos; 38.301 entre 60 e 79 anos; 4.636 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave; e 21.244 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério. Também serão beneficiados 204.254 contribuintes não prioritários que entregaram a declaração até o dia 5 deste mês. Caso o valor da restituição do IR não seja creditado na conta corrente indicada na declaração, o contribuinte pode ir pessoalmente a qualquer agência do Banco do Brasil. Ele também pode ligar para a central de atendimento para agendar o crédito em conta corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco. Os telefones são: 4004-0001 (capitais); 0800-729-0001 (demais localidades); e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá preencher o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição ou no Portal e-CAC, no serviço Meu Imposto de Renda. Ambos no site da Receita Federal.

Consulta Popular

A  votação da Consulta Popular 2020,

que abre espaço para que a população escolha parte dos investimentos e serviços que receberão recursos do Estado, se inicia nesta segunda-feira (26) e segue até o dia 3 de novembro. Qualquer pessoa com título de eleitor pode participar da votação que será digital neste ano. Eleitores dos 32 municípios de abrangência do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede Serra) serão responsáveis pela escolha de dois entre três projetos.  A votação é pelo site da Consulta Popular: digite o número do título do eleitor e escolha o nome da cidade em que reside. A partir daí abrirá a cédula eleitoral com os três projetos e, então, escolha um deles. A outra possibilidade é via SMS para o número 29634 com a mensagem: RSVOTO#Título de Eleitor#nº programa.

Projetos que constam na cédula
1 – Apoio a agricultura familiar.
2 – Apoio ao setor industrial para desenvolvimento de produtos com uso de grafeno.
3 – Implantação do Observatório de Turismo da Serra.

O COVID 19 ESTÁ EM TODOS OS MINCÍPIOS DO ESTADO

COVID-19: Recomendações para as - Atenção Básica do RS

Quase oito meses depois do primeiro caso de coronavírus confirmado no Rio Grande do Sul, em março, o vírus chega agora a todos os municípios gaúchos. Garruchos, a 497ª e última cidade do Estado a apresentar registros da Covid-19, apareceu no balanço diário da Secretaria Estadual de Saúde (SES) desta quinta-feira (29).O município da Fronteira Oeste confirmou quatro casos positivos da doença. Até a semana passada, junto com Cerro Branco, na região Central, eles eram os únicos no Estado ainda sem casos do vírus. Na segunda-feira (26), Cerro Branco registrou o primeiro infectado. Os dados da Saúde atualizados até a tarde desta quinta mostram que 243.402 gaúchos já foram infectados pelo novo coronavírus. Desses, 226.195, ou 93% dos casos, estão recuperados da doença. Também subiu o número de vítimas fatais pela Covid-19, com mais 30 óbitos confirmados pela SES. Mais de 5,7 mil gaúchos morreram desde o início da pandemia. São 5.729 mortes ao todo. Já a taxa de ocupação de leitos de UTI por pacientes com o vírus mostrou leve baixa nesta quinta-feira, agora em 68,9%. Ainda assim, a lotação de hospitais de referência, como o Moinhos de Vento, em Porto Alegre, alerta para a piora dos indicadores. Esta semana, o Estado voltou bandeira vermelha no modelo de distanciamento controlado.

Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação prorrogada até o dia 21/11/2020

Toda Hora - Agora é hora de se vacinar contra a Poliomielite

Todas as crianças de até 5 anos precisam atualizar a caderneta de vacinação ou receber uma dose extra. A meta é atingir, ao menos, 95% do público-alvo, estimado em 529.125 crianças no Estado. Desde o início da campanha, em 5 de outubro, até o fim da tarde de segunda, de acordo com registro no sistema de informação, foram aplicadas 257.311 doses da vacina. O esquema vacinal de poliomielite é composto, atualmente, por duas vacinas: a injetável aplicada em três doses aos dois, quatro e seis meses de vida da criança, e a vacina oral aplicada aos 15 meses e aos quatro anos. Nesta campanha, todas as crianças dessa faixa-etária terão a avaliação de sua situação vacinal para poliomielite. As maiores de um ano que estiverem com seus esquemas vacinais em dia receberão uma dose da vacina oral, a chamada dose D (indiscriminada). Para as crianças que estiverem com seus esquemas de vacinação de poliomielite em atraso, haverá a atualização. Em paralelo, ocorre a Campanha de Multivacinação, que, por sua vez, tem o intuito de atualizar a situação vacinal da população até 15 anos de idade, de acordo com as indicações do Calendário Nacional de Vacinação. O objetivo é, além de aumentar as coberturas vacinais, diminuir ou controlar a incidência de doenças imunopreveníveis como o tétano, o sarampo e a febre amarela. “É fundamental que as crianças e adolescentes compareçam às Unidades de Saúde levando a caderneta de vacinação”, falou a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Tani Ranieri. Por ser uma estratégia de atualização de esquemas em atraso, não se trabalha com metas. A avaliação será realizada a partir das doses aplicadas e registradas nos sistemas de informação no período. “É responsabilidade dos pais e um ato de proteção vacinar os filhos. Várias doenças, que podem até mesmo levar a óbito, estão em circulação no Rio Grande do Sul, como o sarampo. Um ato simples como a vacina pode evitar o contágio”, ressaltou Tani. “Fazemos um chamamento aos pais e responsáveis para aproveitar essa última semana da campanha. A oportunidade de atualizar a caderneta de vacinação não deve ser adiada”. A Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul prorrogou, na data de hoje, a Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação até o dia 21/11/2020, sendo dia 21/11/2020 o dia de mobilização estadual (Dia D), com abertura das Unidades de Saúde para vacinação.

Comentários