LA NIÑA E SEUS EFEITOS CLIMÁTICOS

O resfriamento das águas do Oceano Pacífico equatorial observado nos últimos meses confirmou uma tendência que já estava sendo apontada por grandes centros de pesquisa: daqui para a frente, estaremos sob efeito do fenômeno La Niña. A National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA), órgão norte-americano que trabalha com previsões climáticas e dos oceanos, emitiu, na quinta-feira (10), um comunicado sobre os prognósticos. Mas, afinal, o que isso quer dizer?  Apesar de ser um fenômeno que acontece no Pacífico, ele tem impacto em diversas regiões do planeta. Isso porque provoca uma mudança na dinâmica dos ventos, influenciando no transporte de umidade, explica a meteorologista Eliana Klering, do Instituto de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (Furg).  — Basicamente, essa mudança na dinâmica dos ventos interfere na velocidade das frentes frias, que passam mais rápido. Para nós, no Rio Grande do Sul, normalmente, ocorre a diminuição no volume de chuvas — diz.  O impacto maior deve ser sentido na primavera, quando ainda há, geralmente, mais frentes frias passando pelo Estado. Com a aceleração dessa passagem, a seca deve ser percebida já no fim de setembro.  — A tendência é de termos uma primavera, um outubro, um novembro e um verão com chuvas abaixo da média — acrescenta o meteorologista Solismar Damé Prestes, coordenador no 8° Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).  Além de passarem em maior velocidade por aqui, as frentes avançam mais, conseguindo atingir, inclusive, o nordeste brasileiro, levando chuva à região.  

COVID -19 E AS BANDEIRAS NO ESTADO

O governo do Rio Grande do Sul classificou, nesta sexta-feira, sete regiões em bandeira vermelha no mapa preliminar da 19ª rodada do Distanciamento Controlado. As áreas consideradas de risco alto, de acordo com o governo estadual, para contaminação do coronavírus são: Porto Alegre, Palmeiras das Missões, Erechim, Santa Maria, Guaíba, Passo Fundo e Caxias do Sul.  Já as regiões de Capão da Canoas, Novo Hamburgo, Canoas, Santo Ângelo, Cruz Alta, Taquara, Santa Cruz do Sul, Lajeado, Ijuí, Santa Rosa, Uruguaiana, Pelotas, Bagé e Cachoeira do Sul ficaram com a bandeira laranja.  Os municípios e associações regionais podem apresentar, até as 6h de domingo, pedidos de reconsideração, que serão analisados pelo Gabinete de Crise para que as bandeiras definitivas sejam divulgadas na segunda-feira. As medidas do Distanciamento Controlado passam a valer oficialmente na terça-feira. Serra Gaúcha volta a bandeira vermelha – Além de Porto Alegre, Erechim e Palmeira das Missões – três regiões que já estavam em bandeira vermelha e se mantiveram nesta rodada –, os indicadores apontaram piora nas regiões de Santa Maria, Guaíba, Passo Fundo e Caxias do Sul. 

AUXÍLIO EMERGENCIAL

A Caixa vai abrir 770 agências neste sábado para o saque de novas parcelas do auxílio emergencial de R$ 600 a nascidos em outubro e novembro. São 7,6 milhões de beneficiários, do ciclo 1 do calendário de pagamento, que poderão resgatar em dinheiro a primeira, segunda, terceira ou quarta parcelas do auxílio.  As agências estarão abertas das 8h às 12h, em todo o país, mas os resgates também podem ser feitos nos caixas eletrônicos e lotéricas, utilizando o código que deve ser gerado no aplicativo Caixa Tem. Será possível ainda resgatar o valor por meio de transferências para outras contas. Para realizar o saque, é preciso fazer o login no app, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”. Depois, o beneficiário deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora. O benefício primeiro é depositado na conta poupança digital, que pode ser movimentada para a realização de compras, por meio do cartão de débito virtual e QR Code, pagamento de boletos, contas de água, luz, telefone, entre outros serviços. O resgate em dinheiro e transferência só são liberados no calendário de saque. Prorrogação até dezembro – O governo federal anunciou que o auxílio será prorrogado com mais quatro parcelas de valor menor, de R$ 300 cada uma. As cinco primeiras parcelas foram de R$ 600 cada, e de R$ 1.200, para mães chefes de família. O primeiro grupo a receber a 6ª parcela do auxílio de R$ 300 será o do Bolsa Família, a partir da quinta-feira. O pagamento das novas parcelas para os demais beneficiários ainda não foi definido pelo Ministério da Cidadania, mas deverá ser incluído no calendário organizado por ciclos de crédito em conta digital e saques em espécie até o final do ano. Os beneficiários recebem a parcela a que têm direito no período de acordo com o mês de nascimento. O auxílio foi criado para a população de baixa renda e trabalhadores informais enfrentarem a crise provocada pela pandemia de coronavírus. De três parcelas, passou para cinco de R$ 600 cada. Agora mais quatro de R$ 300 até dezembro. O benefício já foi pago a 67,2 milhões de pessoas, num total de R$ 194,6 bilhões.

A Mega-Sena volta a ser sorteada neste sábado com a promessa de pagar R$ 6 milhões ao apostador que cravar sozinho as seis dezenas reveladas pela loteria. O sorteio está marcado para acontecer às 20h. Caso fature o prêmio do concurso 2.298 sozinho, o apostador poderá aplicar todo o prêmio na poupança e obter um rendimento mensal de, aproximadamente, R$ 7 mil. Para concorrer à bolada, basta ir a uma casa lotérica e marcar de 6 a 15 números do volante, podendo deixar que o sistema escolha os números para você (Surpresinha) e/ou concorrer com a mesma aposta por 2, 4 ou 8 concursos consecutivos (Teimosinha). Cada jogo de seis números custará R$ 4,50. Quanto mais números marcar, maior o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio mais cobiçado do país. Outra opção é o Bolão Caixa, que permite ao apostador fazer apostas em grupo.

RS TEM MAIS LEITOS DE UTI

O Ministério da Saúde autorizou nesta quinta-feira (10) a rede hospitalar do Rio Grande do Sul a abrir 38 novos leitos em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). Com as novas habilitações, o Estado chega a 1.856 leitos de UTI Adulto SUS, alta de 99% na capacidade de atendimento desde o início da pandemia, quando haviam 933 unidades em funcionamento. A duplicação da rede de atendimento fez com que, apesar do crescimento do número de pacientes graves, a taxa de ocupação se mantivesse estável, sempre abaixo dos 80%.A autorização do Ministério prevê o atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de pacientes graves com Covid-19 ou suspeitos de contaminação pelo vírus. Os novos leitos de UTI que, a partir de agora, receberão verbas federais para a prestação do serviço aguardavam pela habilitação desde julho. Os 38 leitos estão distribuídos nos municípios de Caxias do Sul (8), Novo Hamburgo (5), Porto Alegre (10), Santa Maria (5) e Santa Rosa (10). A contratação valerá por 90 dias, podendo ser prorrogada enquanto durar a situação de emergência pública causada pela disseminação do coronavírus. O Diário Oficial da União desta quinta-feira também trouxe portaria prevendo a prorrogação dos prazos de habilitação de outros leitos anteriormente liberados pelo Ministério da Saúde. Em Farroupilha, Espumoso, Erechim e Bento Gonçalves, os cinco leitos de UTI em cada um dos municípios receberam prorrogação, garantindo o pagamento de diárias nessas vagas por mais 30 dias. Os Fundos Municipais de Saúde de Barra do Ribeiro e de Vacaria receberão recursos para o enfrentamento à pandemia, podendo ser aplicados na atenção primária e especializada, vigilância em saúde, assistência farmacêutica, aquisição de suprimentos, insumos e produtos hospitalares, tratamento ou para definição de protocolos assistenciais. O valor de R$ 250 mil para cada um dos municípios foi definido por meio de emenda parlamentar. Incluindo as novas habilitações, as renovações e as emendas parlamentares, ficou reservado para o Estado um montante de R$ 6,8 milhões para a assistência hospitalar por meio do SUS para enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Comentários