Bosonaro testa negativo para o COVID 19

O presidente Jair Bolsonaro publicou em suas redes sociais que fez novo teste para a covid 19 e que o resultado foi negativo. O presidente foi diagnosticado com a doença no último dia 7. Segundo a  OMS, pessoas com sintomas leves da doença, que foi o caso do chefe do Executivo, costumam se curar do vírus em duas semanas, como aconteceu com Bolsonaro. O presidente publicou uma foto segurando uma caixa do remédio cloroquina.

Governador Eduardo Leite está com coronavirus

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, confirmou, numa rede social, na tarde desta sexta-feira (24), que testou positivo para a Covid-19. “Após um teste RT-PCR e mesmo estando assintomático, fui surpreendido agora há pouco com o resultado positivo para Covid-19. Cancelei as minhas agendas e iniciei isolamento, seguindo as instruções médicas”, escreveu o governador. NOTA DO GOVERNO DO ESTADO:O governo do Estado informa que o governador Eduardo Leite testou positivo para Covid-19, conforme laudo do Laboratório Central do Estado (Lacen) divulgado nesta sexta-feira (24/7). O governador está assintomático e iniciou isolamento de pelo menos 14 dias, seguindo as orientações médicas. Durante o período de quarentena, o governador seguirá despachando de maneira remota.

O mapa preliminar da 12ª rodada do Distanciamento Controlado volta a trazer mais da metade das 20 regiões em bandeira vermelha (risco alto). De oito regiões classificadas em vermelho na 11ª rodada, o Estado tem, agora, 14 regiões com risco alto para o contágio por coronavírus: Caxias do Sul, Taquara, Canoas, Porto Alegre, Pelotas, Santa Rosa, Santa Cruz do Sul, Capão da Canoa, Novo Hamburgo, Cruz Alta, Bagé, Passo Fundo, Palmeira das Missões e Santo Ângelo.  As 14 regiões somam 352 municípios e mais de 9,2 milhões habitantes, ou seja, 82% da população gaúcha. O governo ainda observa que o avanço da pandemia acelerou no último mês: de 25 de junho a 23 de julho, as internações em leitos clínicos com pacientes de coronavírus aumentaram 108,4%. As internações em UTI tiveram 110% de alta. Pela chamada regra 0-0, que define que municípios que estejam em regiões de bandeira vermelha mas não tenham internações ou mortes por coronavírus nos últimos 14 dias, 181 cidades poderão adotar os protocolos mais brandos, da bandeira laranja.

Campanha virtual arrecada doações

A Rede de Bancos de Alimentos do Rio Grande do Sul está com uma campanha de arrecadação de donativos aberta com o objetivo de auxiliar a população mais afetada pela pandemia da  Covid 19 estado. A ação busca beneficiar instituições de 34 cidades gaúchas. Diferente de outras campanhas promovidas pela instituição e respeitando as regras de isolamento impostas pelo coronavírus, a arrecadação é feita completamente de forma virtual. Os interessados em contribuir podem acessar o site e montar a sua sacola de doações (confira o passo a passo no retângulo). Sem valor mínimo, o doador pode escolher doar itens que vão de R$ 0,88 até R$ 9,43 ou comprar cestas prontas nos valores de R$30, R$60 e R$120. A entrega do que for arrecadado também será por conta do Banco de Alimentos. O isolamento social é uma das formas de frear o avanço do coronavírus, por isso, a entrega também fica a cargo da entidade.

Depois de pagar R$ 28,4 milhões a um apostador sortudo de Atibaia, em São Paulo, na última quarta-feira, a Mega-Sena volta a ser sorteada neste sábado e promete um prêmio de R$ 2,5 milhões a quem acertar as seis dezenas do concurso 2283. O sorteio será realizado às 20h, no Espaço Loterias, em São Paulo. As apostas podem ser feitas em qualquer casa lotérica até as 19h de hoje. Também é possível “fazer uma fezinha” pela internet, no site Loterias Online da Caixa. É preciso ter mais de 18 anos.

Eduardo Pazuello

Governo Federal não deixou de ajudar Estados e municiípios

O secretário-executivo do Ministério da Saúde , Élcio Franco, afirmou nesta sexta-feira, 24, que a pasta “não se furtou a ajudar Estados e municípios” em meio à pandemia do novo coronavírus . Para justificar as ações do órgão, ele destacou medidas adotadas no enfrentamento da crise de saúde no País e afirmou que, apesar da atuação, a “obrigação” é dos Estados e municípios de adquirir medicamentos e insumos. “Quero deixar bem claro que, pela gestão tripartite, pela lei 8.080 , é sim responsabilidade dos Estados e municípios adquirirem seus insumos, pagarem seus recursos humanos, fazerem a manutenção das suas estruturas hospitalares e adquirir seus equipamentos e medicamentos. Isso é pela gestão tripartite, obrigação de Estados e municípios. Para que não fiquem questionando o ministério”, afirmou.  O secretário lembrou, ainda, que a pasta, em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ), fez um levantamento dos medicamentos em falta e falou também dos “esforços” que o Ministério das Relações Exteriores tem tido com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) para fazer a aquisição de possíveis medicamentos que estejam em falta. Franco também fez uma explicação detalhada sobre a situação de cada medida provisória (MP) editada pelo governo que abriu créditos extraordinários para o enfrentamento da pandemia. Segundo o secretário, é “complexo” reservar o dinheiro para repassá-lo a Estados e municípios.

Comentários