Caixa explica bloqueio do Auxílio Emergencial

A Caixa Econômica Federal começa a indicar nesta quinta-feira, diretamente na tela do aplicativo Caixa Tem, as razões que motivaram cada um dos bloqueios nas contas digitais abertas para o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600. De acordo com a Caixa, a maior parte dos bloqueios (51%) ocorreu por suspeitas de fraude. As demais interrupções foram motivadas por inconsistências cadastrais dos beneficiários. Ao acessar o Caixa Tem, os usuários com suspeita de fraude recebem uma mensagem indicando que é necessário procurar uma agência para regularizar a situação. O presidente do banco, Pedro Guimarães, afirma que a procura pela agência deve ser feita conforme o calendário de pagamentos do auxílio. A medida visa evitar aglomeração na porta das agências. “Se você nasceu em outubro, não adianta procurar uma agência neste momento em que estamos pagando os beneficiários nascidos em janeiro”, alertou Guimarães em live realizada nessa quarta. Os beneficiários com inconsistências cadastrais terão a chance de resolver a situação seguindo as orientações do próprio Caixa Tem, que indicará um link de acesso para o WhatsApp. No aplicativo de mensagens, será possível enviar os documentos pendentes.

Auxílio emergencial já é 60% dos gastos com a Covid-19 no país

As medidas provisórias (MP) editadas pelo governo federal para enfrentar os impactos da crise provocada pela pandemia de coronavírus já superam R$ 509 bilhões. Até o momento foram gastos R$ 282 bilhões. Desse total, a maior parte, quase 60% foram para o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhador informal e população de baixa renda. Os números são do Monitoramento dos Gastos da União com Combate à Covid-19, atualizados diariamente, no Portal Tesouro Transparente, da Secretaria do Tesouro Nacional, ligada ao Ministério da Economia. O Ministério da Cidadania, responsável pelo pagamento do auxílio, foi o principal beneficiado por essas medidas provisórias. Estão previstos R$ 254,4 bilhões para as cinco parcelas, por meio da medida provisória 937/20, dos quais R$ 166,5 bilhões já foram pagos (58,9%). Até esta quarta-feira (22), 65,3 milhões de pessoas já receberam uma parte das parcelas, num total de R$ 128 bilhões. Em segundo lugar estão estados e municípios, que têm previsão de receber R$ 79 bilhões, mas até agora foram executados R$ 39,9 bilhões, pela MP 939. Em terceiro lugar, em termos de gastos efetivados, aparece o Ministério da Economia.

Uma aposta única realizada na cidade de Atibaia, no interior de São Paulo, faturou o prêmio de R$ 28.456.665,08 sorteado nesta quarta-feira pelo concurso 2.282 da Mega-Sena. Os números revelados nesta quarta pelo sorteio realizado nesta terça na cidade de São Paulo (SP) foram: 12 — 27 — 30 — 36 — 45 — 52. Para o próximo concurso, marcado para acontecer no sábado, o prêmio estimado é de R$ 2,5 milhões.

Aumenta o número de separações em tempo de pandemia

Se para casais apaixonados o confinamento é uma oportunidade a mais para reforçar a intimidade, relações que já não iam bem das pernas foram à lona durante o período de convivência prolongada imposto pelo distanciamento social. Somente no Rio Grande do Sul, os cartórios registraram aumento de 26,4% em junho em comparação com maio. Em relação ao mesmo mês de 2019, o incremento foi de 7,7%. O dado é referente a divórcios consensuais, de casais sem filhos menores de idade. O crescimento é atribuído, entre outros fatores, a uma maior facilidade para realizar esse tipo de processo. Desde 26 de maio, uma decisão da Corregedoria Nacional de Justiça permitiu que atos como divórcios, inventários, partilhas, compras, vendas e doações fossem feitos a distância por meio de uma plataforma digital. Para realizar o divórcio online, basta o casal acessar a plataforma www.e-notariado.org.br com RG, CPF e certidão de casamento  —  é necessário ter uma assinatura virtual. O procedimento, que é acompanhado por um advogado, não costuma levar mais do que 20 minutos. 

Bento Gonçalves registra quarta morte

O Comitê de Atenção ao Coronavírus de Bento Gonçalves divulgou, nesta quarta-feira, mais quatro registros de óbitos causados por Covid-19. As mortes foram de um homem na faixa etária dos 70 anos que estava na unidade de internação do Hospital Tacchini, desde o dia 14 de julho. Tinha comorbidades e faleceu na terça-feira.  O segundo, um homem na faixa etária dos 50 anos, esteve internado no Hospital Tacchini de 23 de junho até 7 de julho. Foi atendido na UPA no dia 20 e julho. Tinha comorbidades e faleceu no dia 21 de julho. O terceiro, uma mulher na faixa etária dos 90 anos estava internada na UTI do Hospital Tacchini desde o dia 26 de junho. Tinha comorbidades e faleceu nesta quarta-feira. Também foi incluído no boletim óbito de uma mulher na faixa etária dos 80 anos, ocorrido no dia 18 de julho, na UPA, e confirmado nesta terça-feira, 21, pela Secretaria Estadual da Saúde. Bento Gonçalves tem1.930 casos confirmados na cidade, 1655 curados e 58 óbitos.

Cai isolamento e crescem mortes no RS

Os últimos 15 dias foram considerados críticos por autoridades estaduais e de Porto Alegre para definir os rumos do combate à pandemia no Rio Grande do Sul após a adoção de medidas mais restritivas de circulação na Capital e de uma rodada de bandeiras do distanciamento controlado que chegou a deixar  metade das regiões gaúchas em nível de alto risco — abrangência revista após recursos das prefeituras.  As medidas legais e os apelos emocionados feitos pelo governador  Eduardo Leite e pelo prefeito Nelson Marchezan não surtiram o efeito esperado: o isolamento social recuou a níveis inferiores ao registrado duas semanas atrás, enquanto a média diária de novas mortes por covid-19 cresceu 75% no Estado e 35% no município nesse período. Houve ainda um avanço galopante nas internações por coronavírus em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) (veja gráfico abaixo) que resulta na ameaça de colapso da rede de atendimento. O consenso social esperado pelos gestores públicos para frear esses números não progrediu, e especialistas em saúde apelam por medidas novas e mais efetivas do que as adotadas até aqui. 

Vagas de auxiliar administrativo e cargos na área da saúde

O Grupo Hospitalar Conceição e a Fundação Universidade Empresa de Tecnologia e Ciências (Fundatec) realizam, a partir de quinta-feira (23), um novo processo seletivo com objetivo de formar cadastro reserva. O certame, com inscrições gratuitas, é para vagas de auxiliar administrativo e cargos na área da saúde — com nível de escolaridade médio, técnico e superior completos.  O processo seletivo ocorre por meio de avaliação curricular e de títulos, de caráter classificatório. Os salários vão de R$ 2.698,20 a R$ 15.030,72, para carga horária de 120 a 180 horas mensais.  Para participar, é necessário entregar os comprovantes de títulos e preencher o currículo até a próxima terça-feira (28) no site da Fundatec.

Comentários