Bolsonaro nomeia novo Ministro da Educação

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, na tarde desta quinta-feira (25), que o professor Carlos Alberto Decotelli da Silva será o novo ministro da Educação. O decreto de nomeação foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União. Em uma postagem nas redes sociais, Bolsonaro publicou uma foto ao lado de Decotelli e destacou a formação acadêmica do novo ministro. Decotelli é bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), mestre pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), doutor pela Universidade de Rosário (Argentina) e pós-doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha. Oficial da reserva da Marinha, Carlos Alberto Decotelli da Silva atuou como professor da Escola de Guerra Naval, no Centro de Jogos de Guerra, e presidiu o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) entre fevereiro e agosto do ano passado. Depois, passou para a Secretaria de Modalidades Especializadas do Ministério da Educação.

STF tem novo presidente

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, foi eleito o novo presidente da corte, nesta quinta-feira (25). A ministra Rosa Weber é a nova vice-presidente do STF. Os dois irão assumir o cargo em 10 de setembro. A duração do mandato é de dois anos. A eleição no plenário é simbólica, uma vez que se tem por tradição um rodízio em que se elege presidente o ministro mais antigo que ainda não ocupou o cargo. Fux recebeu 10 dos 11 votos possíveis. É hábito que o futuro presidente vote naquele que irá assumir a vice-presidência. Fux nasceu em 26 de abril de 1953 no Rio de Janeiro. É doutor em Direito Processual Civil pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), onde também atuou como professor. O novo presidente do STF também já lecionou, como convidado, na UCP (Universidade Católica de Petrópolis), PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul), UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e Cyrus R. Vance Center for Internacional Justice, em New York (EUA), além de ter atuado como chefe do departamento de direito processual da UERJ. A nova vice-presidente do STF Rosa Weber nasceu em 2 de outubro de 1948 em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. É formada em direito pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) – desenvolveu boa parte de sua carreira na instituição. Entrou para a magistratura em 1975. Em 1991, foi juíza do Tribunal Regional do Trabalho. Weber foi a primeira juíza do trabalho e a certeira mulher ministra do STF.

O governo federal autorizou o crédito extraordinário de R$ 300 milhões para o Ministério da Defesa atuar no combate ao novo coronavírus. A Medida Provisória foi publicada no Diário Ofiial da União nesta sexta-feira (26). O texto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Nessa quinta-feira, o presidente afirmou que o governo estuda liberar mais três parcelas do auxílio emergencial, pago a trabalhadores informais, desempregados e autônomos como forma de atenuar os efeitos do novo coronavírus na economia. O anúncio foi feito durante transmissão ao vivo em rede social, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes. Ainda segundo o presidente, as novas parcelas vão ter valores decrescentes.

“O auxílio emergencial vai partir para uma adequação. Serão com toda certeza R$ 1.200 em três parcelas. Deve ser dessa maneira, estamos estudando: R$ 500, R$ 400 e R$ 300”, afirmou Bolsonaro. Inicialmente, o auxílio de R$ 600 seria pago por três meses, a contar de abril passado. Cada pagamento custa cerca de R$ 51 bilhões mensais aos cofres públicos.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil chegou nessa quinta a 54.971 mortes e 1.228.114 casos confirmados os números da Covid-19. O país é o segundo mais atingido pela doença em todo o mundo. De acordo com balanço divulgado pela pasta, foram 1.141 óbitos e 39.483 infectados nas últimas 24 horas.

Ação da PF no RS contra criminosa de hackers

A Polícia Federal desencadeou ao amanhecer desta sexta-feira a operação “Capture the flag” com o objetivo de combater organização criminosa hacker especializada na invasão de sistemas informatizados de órgãos públicos para fins de exposição indevida de dados privados de servidores e autoridades. A ação ocorre no Rio Grande do Sul e no Ceará com cerca de 20 agentes que cumpriram três mandados judiciais de busca e apreensão. No RS, as ordens judiciais foram executadas em Porto Alegre e Nova Bassano. Já no Ceará, o alvo está em Fortaleza. De acordo com a PF, o material recolhidos será analisado e periciado para que esclareçam as circunstâncias da invasão de sistemas públicos de informática. De acordo com o inquérito policial, integrantes do grupo hacker investigado obtiveram e expuseram de forma ilícita dados pessoais de mais de 200 mil servidores e autoridades públicas, com o objetivo de intimidar e constranger tanto as instituições quanto as vítimas que tiveram seus dados e intimidade expostos. Os policiais federais apuraram ainda que a organização criminosa teria invadido sistemas de universidades federais, prefeituras e câmaras de vereadores municipais no Rio de Janeiro, Paraná, Goiás e Rio Grande do Sul, além de um governo estadual e diversos outros órgãos públicos. Somente no RS foram mais de 90 instituições invadidas pelo grupo.

Comentários