Brasil tem 34 mortes por Covid-19 e 1.891 casos

O Ministério da Saúde atualizou na segunda-feira para 34 o número de vítimas fatais de Covid-19. Os casos confirmados chegam a 1.891. Até domingo, eram 1.546 casos e 25 mortes. Atualmente, as mortes estão concentradas em São Paulo (30 óbitos) e no Rio de Janeiro

A pandemia está ‘acelerando’, alerta OMS

Com 26.096 novos casos de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, em um único dia, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse ontem que a pandemia está ‘acelerando’ sua propagação. Adhanom pediu o compromisso dos políticos e autoridades mundiais com o combate à epidemia e afirmou que irá se dirigir aos líderes do G20 nesta semana para pedir que trabalhem juntos no aumento da produção de equipamentos de proteção para os profissionais de saúde.

Bolsonaro anuncia ajuda aos Estados

O presidente Jair Bolsonaro reagiu à pressão de governadores por uma ação coordenada e mais recursos para o enfrentamento ao novo coronavírus e anunciou um amplo pacote de ajuda a Estados e municípios, que inclui acesso a novos empréstimos, suspensão de dívidas e transferências adicionais de recursos. Segundo o Ministério da Economia, o plano envolve R$ 88,2 bilhões em recursos.

São Paulo entra em quarentena por 15 dias

O combate à pandemia do novo coronavírus fez com que o Estado de São Paulo entrasse em quarentena por ao menos 15 dias, a partir desta terça-feira (24) — a princípio, até 7 de abril. A medida determina o fechamento de todos os serviços e comércios considerados não essenciais nos 645 municípios do Estado, que concentra o maior número de casos da Covid-19. Na última semana, o governo paulista já vinha recomendando o fechamento de serviços e reduções na circulação de pessoas.

Rio fecha o comércio a partir de hoje

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, determinou o fechamento obrigatório do comércio na cidade a partir desta terça-feira (24), em mais uma medida para conter a propagação do novo coronavírus. Poderão funcionar estabelecimentos que vendem itens essenciais, como farmácias, supermercados e hortifrútis, que receberam recomendação para ampliarem o serviço para 24 horas.

Comentários