Morre a matemática que levou o homem à Lua

Katherine Johnson foi uma das várias cientistas ofuscadas pelas conquistas celebradas pelos homens na história da humanidade. Sem ela, talvez a NASA não conseguisse chegar à Lua com a Apollo 11 em 1969. Ela trabalhou na agência espacial norte-americana entre 1953 e 1969 e seus cálculos foram fundamentais tanto para a primeira viagem de um estadunidense ao espaço, com Alan Shepard, em 1961, quanto para os primeiros passos de Neil Armstrong em nosso satélite natural. Nesta segunda-feira (24), ela morreu aos 101 anos. A NASA fez questão de destacar seus esforços em uma época em que mulheres e negros sofriam (ainda mais) discriminação no ambiente de trabalho. Katherine foi uma das mulheres negras que formavam uma equipe no Centro de Pesquisa Langley, responsável por calcular a trajetória dos pri meiros lançamentos espaciais, operações que hoje são feitas por computadores. “Nos anos 60, os computadores usavam saias”, segundo suas palavras. Katherine Johnson teve sua vida retratada em livro e filme.

Bolsonaro aplaudido por populares

O presidente Jair Bolsonaro passeou de moto e testou sua popularidade no Guarujá. Ele passa o Carnaval no litoral paulista e saiu pilotando a motocicleta acompanhado por seguranças. Ele parou em uma padaria, conversou com clientes, tirou fotos, comeu pão de queijo e tomou refrigerante — tudo transmitido ao vivo em sua rede social. O presidente deve ficar no Guarujá até a quinta-feira (27) no Forte dos Andradas, acompanhado pela filha Laura. A primeira-dama, Michelle, permaneceu em Brasília com familiares.

Pedágio com alteração de valor.

O cálculo já foi feito por técnicos da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). Foi aplicado o critério adotado pela Agência Nacional dos Transportadores Terrestres (ANTT) na tabela simples de multiplicador de eixos dos pedágio das rodovias federais, como ocorre no contrato com a CCR ViaSul na BR-386 e na BR-101, no Rio Grande do Sul. O governo não abrirá mão de receita. Os custos serão melhor distribuídos. Os valores ainda não foram anunciados, o realinhamento vai trazer redução de aproximadamente 10% para os motoristas de carros, que representam praticamente 80% dos pagantes do pedágio. Para os veículos com mais de dois eixos, principalmente os caminhões, a tarifa poderá dobrar. A alteração já está decidida. O que será definido neste encontro é a partir de quando ele será aplicado. A tarifa do pedágio nas rodovias estaduais vai sofrer alteração. Na próxima quinta-feira (27), às 9h, representantes das secretarias da Fazenda, dos Transportes, do Planejamento, do Meio Ambiente, de Governança e Gestão, além da Procuradoria Geral do Estado (PGE) vão se reunir para decidir quando a mudança entrará em vigor.

Coronavirus

Ministros da Saúde de países que fazem fronteira com a Itália se reúnem nesta terça-feira (25) em Roma para discutir a situação do coronavírus. Autoridades italianas estão em alerta após novas mortes relacionadas ao vírus serem confirmadas no país. A Organização Mundial da Saúde considera os novos casos do coronavírus na Itália, Irã e Coreia do Sul extremamente preocupantes. Segundo a OMS, não há motivo para pânico, mas os governos devem agir rápido e precisam estar preparados para uma pandemia. O avanço do vírus fora da China derrubou as bolsas pelo mundo nesta segunda-feira (24). Na Europa, as perdas no mercado acionário somaram US$ 474 bilhões. Nos Estados Unidos, os principais índices tiveram o pior desempenho em quase dois anos. – No Brasil os secretários estaduais de saúde avaliam ser questão de tempo até o Brasil ter um caso confirmado do novo coronavírus. Apesar disso, consideram que o País está pronto para conter o avanço da doença e tratar os pacientes. Segundo Alberto Beltrame, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), os Estados já enviaram ao Ministério da Saúde planos de contingência, que incluem a lista de hospitais de referência e medidas para detectar a doença.

Comentários