Redecker colhe assinaturas para criação da Frente Parlamentar de Apoio a Extensão da BR 448

O deputado federal Lucas Redecker deu início, nesta segunda-feira (25), a coleta de assinaturas para instalação da Frente Parlamentar de Apoio à Extensão da BR 448 na Câmara dos Deputados. Redecker acredita que conseguirá as assinaturas necessárias para a instalação da frente em virtude da importância do tema. Por ser o proponente, ele também será o presidente da Frente, mas a intenção de Redecker é fazer um rodízio na presidência dos trabalhos. “A Frente Parlamentar é um somatório de forças, para que juntos possamos conseguir a garantia dos recursos e a viabilidade da extensão da rodovia”, disse ele.

De acordo com o parlamentar, a frente parlamentar é a garantia que esse assunto será debatido dentro da Câmara dos Deputados. “Essa pauta não é de um ou dois deputados, é do Parlamento, de um poder. Vamos precisar do apoio dos parlamentares e de toda a sociedade no decorrer dos trabalhos para poder tirar a rodovia do papel, unindo forças e deixando as bandeiras partidárias de lado, pois a frente é suprapartidária”.

Sobre a extensão da BR 448

O lote 2, como é chamado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), pretende ampliar a rodovia em 18,7 quilômetros a partir do quilômetro 6, em Esteio, até a RS-240, em Portão, no Vale do Sinos. O Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) está aos cuidados do DNIT e do Consórcio Magna-Enecon. A estimativa é de que a obra custe mais de R$ 1 bilhão. O levantamento técnico também contempla o Lote 3 de expansão da Rodovia do Parque, que vai da RS-240, em Portão, até a BR-116, em Novo Hamburgo.

Na legislatura anterior, quando era deputado estadual, Redecker já havia instalado a mesma frente parlamentar na Assembleia Legislativa gaúcha, o que foi fundamental para garantir a liberação de R$ 10 milhões – dos R$ 29 milhões necessários – em emendas da bancada gaúcha na Câmara dos Deputados para a realização do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) do projeto.

Comentários